YANOMAMI: GENOCÍDIO ERA PROJETO DE BOLSONARO

“Pena que a cavalaria brasileira não tenha sido tão eficiente quanto a americana, que exterminou os índios.” (Jair Bolsonaro, em declaração ao Correio Brasiliense, em 12 de abril de 1998). 

A declaração criminosa dada pelo então deputado federal Jair Bolsonaro ao Correio Brasiliense em 1998 não deixa dúvidas de que o fascista sempre teve a pretensão de exterminar as etnias dos povos originários brasileiros. Sua fala nauseante e repugnante mostra qual era o seu projeto, se um dia tivesse o poder em suas mãos imundas. E, desgraçadamente, isso aconteceu.

A tragédia humanitária dos Yanomami, que, para vergonha de nosso país, ganhou repercussão internacional, agregada às informações que agora recebemos, mostra que chamar Bolsonaro de genocida não é exagero. No governo criminoso e fascista de Bolsonaro, foram ignorados mais de 20 pedidos de socorro que foram solicitados ao Governo Federal. Tanto o Ministério Público, como o Exército e a Funai foram informados da tragédia daquele povo e NENHUM, rigorosamente NENHUM pedido de ajuda foi atendido. Nos quatro anos de desgraça fascsita-bolsonarista pelo menos 570 crianças Yanomami morreram de desnutrição e/ou doenças facilmente evitáveis, desde que tivessem a mínima assistência. Enquanto isso, nesse mesmo período, garimpeiros e madeireiros criminosos faziam a farra, invadindo, desmatando e poluindo as terras indígenas, sem que nenhuma providência fosse tomada por Bolsonaro e pelos órgãos que, teoricamente, deveriam proteger os povos indígenas. A “boiada” do Ricardo Salles, tão criminoso quanto Bolsonaro, foi passada sem qualquer piedade. Os invasores que garimpavam e extraíam ilegalmente madeira da região tinham todo apoio de Bolsonaro e seu “ministro da devastação”, Ricardo Salles. Os fiscais, assim como os que queriam levar ajuda, eram ameaçados tanto pelo governo como pelos invasores, em um consórcio criminoso cujo objetivo era exterminar o povo Yanomami e entregar as terras aos bandidos-aves de rapina.

As condições em que o povo Yanomami foi encontrado na recente visita do presidente Lula e sua comitiva a Roraima lembram as imagens esqueléticas de judeus quando resgatados dos campos de concentração nazistas. Os mais elementares direitos dos Yanomami foram negados e um verdadeiro massacre foi imposto àquele povo pelo governo fascista. Com toda certeza, se o então deputado Bolsonaro tivesse sido preso quando, em 1998, defendeu o extermínio dos índios brasileiros, essa tragédia não teria acontecido.

Foi genocídio sim, e com certeza outros povos indígenas foram vítimas desse crime. Crime contra os povos originários. Crime contra o Brasil. Crime contra a humanidade, que Bolsonaro e seus comparsas devem responder com todos os rigores das leis.

PRESO O BANDIDO BOLSONARISTA QUE QUEBROU O RELÓGIO

A Polícia Federal prendeu ontem o bandido bolsonarista Antônio Cláudio Alves Ferreira, que quebrou o relógio trazido para o Brasil em 1808 por D. João VI. O criminoso a serviço de Bolsonaro foi preso na cidade de Uberlândia, situada na região do Triângulo Mineiro. O bandido, segundo constatou a polícia, tem passagens por ameaça e tráfico de drogas.

Antônio Cláudio reside na cidade de Catalão, interior de Goiás. Na tentativa de golpe de Estado de 8 de janeiro o bandido se deixou filmar pelas câmeras de segurança e a cara do fascista ficou nacionalmente conhecida. Logo depois das depredações, segundo testemunhas, o bandido esteve rapidamente em casa e fugiu às pressas. O vagabundo bolsonarista passará por audiência de custódia e, segundo informações oficiais, será encaminhado a um presídio em Uberlândia.

BANDIDO QUE QUEBROU O RELÓGIO É IDENTIFICADO

O bandido bolsonarista que destruiu o relógio trazido por D. João VI para o Brasil em 1808 foi reconhecido pela sua irmã, pelo seu ex-chefe, por um vizinho e pela proprietária do imóvel em que reside. O nome do delinquente é ANTÔNIO CLÁUDIO ALVES FERREIRA. O vagabundo bolsonarista tem 30 anos de idade e mora na cidade de Catalão, interior de Goiás. Na ocasião do crime, o bandido trajava uma camisa com a cara de seu líder fascista Jair Bolsonaro.

O bandido encontra-se foragido desde o dia 8 de janeiro, quando participou da tentativa de golpe de Estado em que os fascistas depredaram os prédios dos três poderes. Agora, resta à polícia capturar mais esse bandido fascista e golpista. Que ele pague, civil e criminalmente, pelo estrago que fez com uma das maiores relíquias históricas do Brasil.

Cadeia para o bandido bolsonarista ANTÔNIO CLÁUDIO ALVES FERREIRA!

VÍDEO: “SEGUNDO ROUND” É NA CADEIA, SEU BABACA!

Imagem acima: o bandido golpista bolsonarista “Ramiro dos Caminhoneiros”, preso hoje. O “segundo round” dele vai ser no xilindró.

O bandido golpista Ramiro Alves da Rocha Cruz Júnior, vulgo “Ramiro dos Caminhoneiros”, foi preso hoje, 20 de janeiro, na operação da Polícia a Federal contra os financiadores da tentativa de golpe em 8 de janeiro. O terrorista bolsonarista ainda publicou um vídeo depois do atentado fascista em Brasília, onde prometia um “segundo round”, no qual conclama os CACs , caminhoneiros e o agro para participarem. No vídeo, o bandido se dirige à “esquerdalha”, gaba-se do que fizeram no dia 8 de janeiro e ainda fala em “segundo round”.

Mas o fascista acaba de ser preso. O teu “segundo round” é na cadeia, seu bandido fascista!

Assistam ao vídeo, que o próprio terrorista diz que é de 14 de janeiro:

O BANDIDO BOLSONARISTA QUE QUEBROU O RELÓGIO

Imagem acima: o bandido bolsonarista que, no ataque de 8 de janeiro, quebrou o relógio que D. João VI trouxe para o Brasil em 1808.

Câmeras de segurança do circuito interno dos prédios dos três poderes atacados pelos golpistas bolsonaristas em 8 de janeiro mostram os bandidos a serviço do fascismo destruindo peças de alto valor histórico e artístico. Um dos bandidos destruiu, com golpes de facadas, uma tela de Di Cavalcanti. Esse vagabundo, porém, aparece distante da câmera e não conseguimos ver a cara do canalha.

Já o bandido bolsonarista que destruiu o relógio que pertenceu ao rei francês Luís XIV e que foi trazido para o Brasil em 1808 por D. João VI, fez questão de se exibir. Vestindo uma camisa com a cara do Bolsonaro, o patife derrubou o relógio, de inestimável valor histórico, destruindo a peça. O vagabundo bolsonarista mostrou a cara e, desde o último domingo, esse verme podre a serviço do fascismo bolsonarista está sendo procurado. Cadeia para o bandido!

VÍDEO: BANDIDAS GOLPISTAS BOLSONARISTAS CLAMAM POR “DIREITOS HUMANOS”

Direitos humanos agora, socorro!” (grito de uma bandida golpista bolsonarista presa).

“Direitos humanos é o esterco da vagabundagem”. (Jair Bolsonaro)

Os bandidos fascistas bolsonaristas sempre desprezaram os direitos humanos. Agora que estão presos por crime de golpe de Estado, estão pedindo socorro e clamando por aquilo que sempre desdenharam: direitos humanos. Se essas bandidas forem coerentes, devem parar de clamar por direitos humanos, parar de chamar pela Damares e pela “Micheque” e pedir ao Bolsonaro para indicar alguém do tipo Carlos Alberto Brilhante Ustra para interrogá-las. Se isso acontecer, aí vai uma dica: usem cinto de castidade!

Assistam ao vídeo das bandidas bolsonaristas exigindo “direitos humanos”:

A PROVA ESCRITA DO GOLPE QUE NÃO ACONTECEU

Agora está provado, documentalmente e por escrito, que Bolsonaro queria dar o golpe de Estado, anulando o resultado da eleição e continuando no cargo na base de um tapetão violento e atentatório à Constituição e ao Estado Democrático de Direito. A minuta do decreto encontrado na casa de Anderson Torres não deixa qualquer dúvida. Basta ler o documento golpista, que teria a assinatura do próprio Bolsonaro.

O documento é absurdo e inadmissível sob todos os aspectos. O sujeito pretendia decretar o Estado de Defesa no Tribunal Superior Eleitoral (leia-se: intervenção na Justiça Eleitoral). Seria criada uma “Comissão de Regularidade Eleitoral” que apresentaria um relatório final sobre as eleições, evidentemente dizendo que a a eleição foi fraudada e que Bolsonaro teria sido o vencedor. A tal “Comissão de Regularidade Eleitoral” assumiria as funções de dizer o que teria sido válido ou não na eleição.

O decreto é golpista e absurdo, até porque não existe Estado de Defesa em uma instituição ou órgão governamental. O Estado de Defesa só pode ser decretado em uma área territorial (município, estado ou país). O tal decreto que não chegou a vigorar é golpista, ilegal e criminoso. Golpe de estado já é crime tipificado no Código Penal e Bolsonaro coloca todas as suas digitais em mais um crime, desta vez com o seu comparsa Anderson Torres e, certamente, outros.

Anderson Torres já estava com a prisão decretada quando o documento, que é a prova escrita da tentativa de golpe, foi encontrado e divulgado. Em breve o golpista será preso pela Polícia Federal, mas evidentemente ele não está sozinho. A maior parte dos integrantes da tal “Comissão de Regularidade Eleitoral” seria formada, predominantemente, por pessoas indicadas por Bolsonaro, especialmente oriundos do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que, no governo Bolsonaro, se transformou em um antro de milicos fascistas e golpistas, a começar pelo seu ministro, o general Heleno, um golpista histórico e seguidor da cartilha do nada saudoso Silvio Frota.

Agora resta ouvir o que o golpista Anderson Torres tem a dizer. Quanto à participação de Bolsonaro, não resta dúvida, até porque ele iria decretar o golpe e assinar o documento. Muitos criminosos que tentaram o golpe e atentaram contra a democracia deverão aparecer. É impossível que o GSI não soubesse. É impossível que o PGR não soubesse. É impossível que parlamentares fascistas aliados do Bolsonaro, que certamente integrariam a tal comissão golpista, também não soubessem.

Mesmo que o golpe não tenha se consumado, todos cometeram crime previsto no Código Penal. Homicídio é crime (e tentativa de homicídio também é); assalto é crime (e tentativa de assalto também é); do mesmo modo, golpe de Estado é crime (e tentativa de golpe de Estado também é). A prova escrita do crime aí está. Resta processar e prender os fascistas golpistas, a começar por Anderson Torres e Jair Bolsonaro.

DA TAPIOCA A BOLSONARO, O “UP GRADE” DO CARTÃO CORPORATIVO

Imagem acima: o pequeno restaurante Sabor de Casa, em Roraima. Um restaurante simples, que vendia quentinhas com preços entre 17 e 23 reais e onde Bolsonaro, de uma só vez, gastou mais de 109 mil reais no cartão corporativo.

O ano era 2007. O então ministro do Esporte, Orlando Silva, usou o seu cartão corporativo para comprar uma tapioca. O valor gasto na compra foi de R$ 8,30. É bom escrever por extenso para que não pairem dúvidas: OITO REAIS E TRINTA CENTAVOS foi o valor gasto pelo então ministro de Lula no cartão. Lembro-me que Orlando Silva foi execrado e atacado por todos aqueles que hoje vestem o abadá de fascista amarelo, querem dar golpe e que, quando Bolsonaro assumiu diziam que “a mamata acabou”. A mamata acabou com Bolsonaro?

A abertura do sigilo dos gastos de Bolsonaro com o cartão corporativo prova que Bolsonaro não estuprou apenas a saúde, a educação, o meio ambiente, a diplomacia, as artes, os direitos trabalhistas. Bolsonaro estuprou também o cartão corporativo. “Esse merece ser estuprado”, deve ter pensado Bolsonaro. Os gastos são nababescos, assustadores, revoltantes e mostram por eles mesmos porque Bolsonaro queria que só vissem 100 anos depois a farra que ele fez. Mas como o Mané perdeu a eleição, agora ficamos sabendo que:

  1. Bolsonaro gastou, nos 4 anos de seu desgoverno com o cartão corporativo a “bagatela” de R$ 27 milhões e 600 mil reais, o que daria para comprar 3.325.301 tapiocas que o Orlando Silva comprou;
  2. No dia 26 de maio de 2019, Bolsonaro gastou em uma padaria no Rio de Janeiro, 55 mil reais. Convertendo em tapiocas, Bolsonaro comprou, em um mesmo dia, 6.626 tapiocas que o Orlando Silva comprou;
  3. Em um mercadinho chamado “La Palma”, que fica em Brasília, Bolsonaro comprou comidas e bebidas importadas no valor total de 678 mil e 900 reais, ou seja, Bolsonaro comprou, de uma só tacada, 81.795 tapiocas;
  4. Em um mesmo dia, Bolsonaro gastou 109.266 reais em um pequeno restaurante em Boa Vista, Roraima. O restaurante vende marmitas com preços que variam entre 17 e 23 reais. Ou seja, tomando-se por base o preço mais alto, Bolsonaro comprou 4.739 marmitas num mesmo dia, o que equivale a 13.164 tapiocas;
  5. Os gastos incluem 6.495,60 em sorvetes, ou seja, 782 tapiocas.
  6. Só para não nos alongarmos, pois a lista completa foi divulgada, até o “velho da Havan” foi contemplado. Há registro de compras com o cartão corporativo na Loja Havan, de seu apoiador fantasiado de papagaio.

Abaixo, reproduzimos a lista completa dos gastos do governo Bolsonaro com o cartão corporativo. Que “up grade”! E haja tapioca!

Veja os gastos do cartão corporativo do ex-presidente Jair Bolsonaro

Alimentação: R$ 10.295.371,75
Serviços de apoio administrativo, técnico e operacional: R$ 15.38.464
Hospedagem: R$ 13.669.149
Locações de bens móveis: R$ 699.775
Posto de combustível: R$ 668.824,60
Produto de limpeza: R$ 207.975,20
Locação de imóveis: R$ 69.097,25
Locação de máquinas e equipamentos: R$ 64.058,50
Material de copa e cozinha: R$ 50.394,26
Material de acondicionamento e embalagem: R$ 49.008,87
Combustíveis e lubrificantes para outras finalidades: R$ 45.423,85
Farmácia: R$ 42.250,51
Despesas com excesso de bagagem: R$ 31.440
Material de cama, mesa e banho: R$ 17.822,94
Serviços de telecomunicações: R$ 13.082,60
Material para festividades: R$ 12.944,81
Exposições, congressos e conferências: R$ 11.226,58
Material de proteção e segurança: R$ 9.484,98
Manutenção de veículos: R$ 8.910,19
Festividades e homenagens: R$ 8.800,50
Navios e embarcações: R$ 7.819,46
Telefonia: R$ 7.592
Reforma e construção: R$ 5.722,95
Comunicação de dados e redes: R$ 5.469
Serviços gráficos: R$ 5.450,49
Passagens e despesas com locomoção: R$ 4.610
Material de expediente: R$ 3.968,71
Material hospitalar: R$ 3.570,08
Locação de meios de transportes: R$ 31.523
Material elétrico e eletrônico: R$ 3.072,23
Móveis e decoração: R$ 3.052,40
Gás engarrafado: 2.526,30
Uniformes, tecidos e aviamentos: R$ 2.477,30
Taxas: R$ 2.126,04
Material de processamento de dados: R$ 2.117,30
Pet shop: R$ 1.809,94
Material químico: R$ 1.799,65
Pedágio: R$ 1.586,39
Assinaturas: R$ 1.475,60
Material esportivo: R$ 1.286,48
Mecânico: R$ 1.260
Ferramentas: R$ 1.055,48
Material para áudio, vídeo e foto: R$ 952
Frete e transportes de encomendas: R$ 880
Material para comunicações: R$ 800
Serviços domésticos: R$ 709,46
Material de sinalização: R$ 686,70
Serviços de comunicações: R$ 679,95
Limpeza e conservação: R$ 660
Confecção de bandeiras: R$ 480
Estacionamento: R$ 414
Materiais e medicamentos para uso veterinário: R$ 201,80
Material de caça e pesca: R$ 176,50
Banca de jornal e livraria: R$ 111
Material laboratorial: R$ 29,98

A DEMOCRACIA DERROTOU O GOLPE

A tentativa de golpe por parte dos bandidos a serviço de Bolsonaro no último domingo acabou sendo um tiro no pé dos próprios golpistas e do líder fujão Bolsonaro. A reunião convocada pelo presidente Lula teve a adesão dos 27 governadores, dos presidentes da Câmara e do Senado, da presidente e membros do STF, de prefeitos, parlamentares e até do engavetador bolsonarista Augusto Aras. Todos, independentemente de partido ou posição ideológica, repeliram o golpe, reafirmaram a democracia e isolaram ainda mais o fascismo bolsonarista.

A tentativa de golpe, além de fracassada, acabou dando mais uma oportunidade de o presidente Lula apresentar o grande arco que une os poderes da República e a sociedade como um todo em reconhecimento à legalidade e legitimidade de sua eleição e de seu governo. Enfim, a tentativa de golpe acabou fortalecendo a democracia e isolando ainda mais os bandidos bolsonaristas.

Em menos de uma semana, os fascistas deram a Lula a oportunidade de exibir ao mundo dois atos carregados de simbolismo. Primeiro foi na posse, quando o fascista fujão se recusou a passar a faixa ao presidente eleito. Ao não participar da solenidade, Bolsonaro permitiu que Lula protagonizasse a mais bela subida de rampa da história, com representantes da sociedade. Agora, ao fomentar o golpe que não aconteceu, Bolsonaro deu a Lula mais uma grande oportunidade de exibir ao mundo que todos os poderes da República estão com a democracia e repelem o golpe fascista. A descida da rampa do Planalto de Lula com presidentes dos poderes e governadores das 27 unidades da Federação foi outro recado a Bolsonaro e seus comparsas golpistas: a democracia venceu!

BANDIDOS BOLSONARISTAS MOSTRAM A CARA!

Acima: bandidos já identificados por participarem da invasão terrorista em Brasília no último domingo.

Os bandidos golpistas que tocaram o terror em Brasília no último domingo, dia 8 de janeiro, não são apenas golpistas, bandidos, terroristas e vândalos. São também imbecis. Eles fizeram várias fotos e selfies da invasão criminosa aos três poderes e postaram nas redes sociais. Assim, produziram provas contra eles próprios, o que tornou fácil a identificação desses vermes a serviço do fascismo bolsonarista.

Nessa laia criminosa, que se apresenta como “patriotas”, tem de tudo: pastor, general, servidor público, coronel, médico, mecânico, advogado, aposentado e tudo mais o que se possa imaginar. Mas todos eles têm em comum o fato de serem bandidos terroristas. As fotos dos meliantes estão sendo divulgadas hoje em sites e jornais impressos. Alguns já são figuras bem conhecidas do fascismo, como o sobrinho de Bolsonaro, Léo Índio. Acima temos as caras, nomes e supostas ocupações desses bandidos que atentaram contra a ordem democrática, depredaram nosso patrimônio histórico e cultural e tentaram, sem sucesso, dar um golpe de Estado. Esses bandidos, já devidamente identificados, deverão ser presos e irão responder dentro dos rigores da lei.

Ontem, 1500 terroristas foram presos. Os bandidos não tiveram qualquer constrangimento em se deixar fotografar, filmar e publicar o flagrante de seus crimes nas redes sociais. Os bandidos mostraram as suas caras sem-vergonha! Mas é necessário identificar os bandidos que não mostraram as caras, ou seja, os organizadores, incentivadores e financiadores da barbárie fascista. Aos poucos, os bandidos que não mostraram as caras também serão identificados e presos. E a vez do líder fascista fujão irá chegar!

Não teve golpe! Não vai ter golpe! A democracia venceu e os bandidos fascistas pagarão caro.