MERVAL, SUA MÁQUINA DO TEMPO E OS “PASSADOS” EM JOGO

O desesperado jornalista global, outrora “aecista” e atualmente “sergiomorista” Merval Pereira, em sua coluna de hoje intitulada “Máquina do Tempo”, usa o ardil desonesto e a camuflagem sem-vergonha de considerar Lula e Bolsonaro uma “mesma coisa”. Tudo para tentar dar algum fôlego à sua desesperada natimorta “terceira via” que, para ele, seria ninguém menos do que o ex-juiz parcial Sérgio Moro, que foi cuspido do esgoto bolsonarista.

A desonestidade intelectual e política de Merval Pereira dá o tom de seu desespero, pela absoluta inanição política de uma delirante “terceira via”. Em sua coluna, Merval afirma que tanto Lula como Bolsonaro representam o passado, o anacronismo. Porém, a “Máquina do Tempo” de Merval parece desconhecer os rumos dos “passados” de Lula e do fascista genocida. É verdade que Lula e Bolsonaro desejam uma volta ao passado. Mas, que passado? É fácil de responder:

Bolsonaro quer a volta de 1964. Ele é golpista e já prepara um golpe caso a sua provável derrota se confirme. Bolsonaro, como já demonstrou junto com sua família de delinquentes, quer a volta de 1968, com o AI-5, que permitia fechar o Congresso, colocar o Judiciário de joelhos e aniquilar os direitos dos cidadãos. Bolsonaro quer a volta dos anos 1970, com o “Prá Frente Brasil” do ditador Médici. Bolsonaro, que tem como ídolo o assassino e torturador Brilhante Ustra, quer a volta dos porões da ditadura militar e nem está aí para a família dos desaparecidos políticos, a quem já disse que “quem procura osso é cachorro”. Bolsonaro quer a volta daquele passado de censura imposta pela ditadura militar, que perseguia artistas, professores, estudantes, cientistas, jornalistas. Bolsonaro quer a volta do passado mais sombrio da história brasileira, em que um jornalista se apresentava espontaneamente para depor e aparecia morto em um quartel, como foi o caso de Vladimir Herzog. O passado que Bolsonaro quer trazer de volta é a ditadura, da qual nunca escondeu ser defensor. Esse é o passado que Bolsonaro e sua gangue fascista defendem.

Já Lula, que nada tem de radical, pois negocia com quase todos os espectros políticos, até mesmo com a direita, quer trazer de volta um passado recente, em que o Brasil estava fora do mapa da fome da ONU. Lula quer trazer de volta o passado do maciço acesso à universidade, especialmente para os jovens onde, contrariando o banqueiro Paulo Guedes, o filho do porteiro podia ser doutor. Lula quer trazer de volta os altos níveis de emprego, o crescimento do PIB e o apoio ao pequeno empresário. Lula quer trazer de volta a transferência de renda para os mais pobres, sem que esta seja uma medida eleitoreira. Lula quer que volte aquele passado de quando era Presidente, de respeito aos negros, indígenas, e LGBTs, tão agredidos por Bolsonaro e seus seguidores. Lula quer trazer de volta o passado de grandes investimentos de alcance social. Quer trazer de volta o respeito aos servidores públicos, que em seu governo nunca foram chamados de “parasitas”. Quer trazer de volta o respeito do Brasil junto à comunidade internacional, já que nosso país virou motivo de chacota internacional. Lula quer que volte aquele passado em que, em nenhum momento, as instituições democráticas e o Estado de Direito foram afrontados e desrespeitados. Lula quer trazer de volta aquele passado em que o primeiro colocado da lista tríplice era o indicado a Procurador-Geral, dando ao Ministério Público independência para apurar e denunciar, ao invés de termos “blindadores” e “engavetadores-gerais” da República, como Augusto Aras. Lula quer trazer de volta aquele passado em que a bandeira nacional não se confundia com colorações políticas e em que a camisa da seleção não era um abadá de fascistas. Esse é o passado que Lula representa e que tem que voltar, o mais rápido possível, em nosso país.

De fato, dois “passados” estarão em jogo em outubro. Porém, colocá-los no mesmo “saco”, como pretende o sergiomorista Merval Pereira, é picaretagem, é safadeza, é canalhice, é desonestidade, é puro desespero. O passado que Lula quer trazer de volta nunca poderá estar no mesmo balaio do fascismo troglodita e miliciano representado pelo bolsonarismo. A “Máquina do Tempo” de Merval Pereira parece estar descalibrada e sem rumo. E, a continuar assim, irá contribuir para que ela pouse em 1964. E então, ficaria muito difícil alçar um novo voo de volta a um passado democrático, solidário e civilizado.

BOLSONARO QUER UMA PROCONSULT DE FARDA

A sanha golpista de Jair Bolsonaro continua e, mais uma vez, atacando o sistema eleitoral. Dessa vez, e como não poderia deixar de ser, agredindo em especial a Justiça Eleitoral. Na última quinta-feira, em evento no Planalto, Bolsonaro lançou mais uma de suas propostas golpistas para as eleições desse ano. Evocando a sua condição de “chefe das Forças Armadas”, Bolsonaro propôs que o Exército faça uma contagem de votos “paralela” nas eleições de outubro. A proposta, tão absurda como golpista, já foi rechaçada pelos membros do Tribunal Superior Eleitoral. Até o Arthur Lira, o fiel e comprado escudeiro de Bolsonaro, já se manifestou contra a proposta golpista e estapafúrdia.

Nunca é demais lembrar que lugar de militar é no quartel. Os militares não possuem qualquer condição legal e técnica para fazerem apuração de votos, a menos que estejamos em uma ditadura. Para isso existe a Justiça Eleitoral. Que os militares contem as peças de picanha, as latas de leite condensado e o número de pílulas de Viagra e de próteses penianas que compraram para seus oficiais “imbroxáveis” como Bolsonaro. Mas contagem de votos e proclamação dos eleitos é missão e dever constitucional da Justiça Eleitoral. E de mais ninguém.

A proposta golpista de Bolsonaro lembra o “escândalo da Proconsult” em 1982, na eleição para governador do Rio de Janeiro, quando a Rede Globo entrou em campo e tentou mudar o resultado das urnas para dar uma vitória fraudada ao Moreira Franco. Mas Brizola agiu a tempo, detonou o golpe e mandou os golpistas para o esgoto.

Parece que Bolsonaro, inspirado na Globo, que hoje diz “odiar”, mas que foi grande parceira na sua vitória em 2018, quer criar uma nova Proconsult. Só que, dessa vez, seria uma “Proconsult de farda”. Os militares que contem os votos das eleições do Clube Militar. Ou, se preferirem, que vão contar Viagras!

AÇÕES E OMISSÕES: DEIXARAM CHEGAR, E NÃO FOI O FLAMENGO!

“Deixaram chegar!” era um mantra dos torcedores do Flamengo quando a equipe, desacreditada, não era tida como perigosa pelos adversários. Então o Flamengo, ignorado pelos adversários, acabava chegando na final da competição e muitas vezes vencendo. Quando os adversários abriam os olhos, já era tarde demais. É o que está acontecendo com o golpe que já vem, desde o início do mandato, sendo construído por Bolsonaro e que, nesse momento, está em pleno andamento.

Corroer as instituições e fazer seus seguidores e milicianos reais e virtuais desacreditarem delas; afrontar o Judiciário e lançar descrédito ao sistema eleitoral; manter as hostes fascistas que o apoiam permanentemente acesas, em um clima de confronto; ameaçar a democracia usando o nome das Forças Armadas, dentre outras, tem sido as estratégias de Bolsonaro para um golpe que já está em curso e que, se não houver freio, terá a sua culminância nas eleições de outubro.

Bolsonaro, para chegar onde chegou, a ponto de ter emparedado o Supremo Tribunal Federal, contou (e ainda conta) muito com a anuência do Legislativo, desde Rodrigo Maia (que, covarde e omisso, sentou-se sobre as dezenas de pedidos de impeachment quando Bolsonaro cometia as maiores barbaridades) até Arthur Lira (seu fiel e comprado escudeiro) e Rodrigo Pacheco (que hoje faz declarações que favorecem Daniel Silveira, o deputado fascista marombado, condenado pelo STF pelo placar de 10 a 1 e indultado por Bolsonaro).

É evidente que o indulto concedido a Daniel Silveira seria legal, desde que fosse após o trânsito em julgado da condenação. Assim, o indulto foi intempestivo. Aliás, propositadamente intempestivo, porque até o trânsito em julgado da sentença, correria um tempo que não interessa a Bolsonaro para dar uma resposta às suas hostes extremistas. Tinha que ser já, para que a chama do conflito não se apague. Quando o único voto que absolveu o deputado fascista, dado por Nunes Marques, foi justificado considerando que as ameaças de Daniel Silveira eram meras “bravatas”, também tivemos, nesse voto, uma declaração de descrédito no potencial perigo que representa esse elemento que, aliás, tem uma vasta folha corrida de ameaças, processos e punições quando era policial. Aliás, Bolsonaro também era tido como “bravateiro”. E hoje vemos onde suas “bravatas” chegaram.

Para além do Legislativo, que desde Rodrigo Maia está vendo o golpe se consumar e nada faz, diversas instâncias do Judiciário estão blindando Bolsonaro e sua familícia. E o que dizer do procurador-geral da República? Augusto Aras, homem de confiança de Bolsonaro, tornou-se um engavetador dos crimes de Bolsonaro (crimes contra a ordem democrática, contra a saúde pública, contra o Estado de Democrático de Direito…)

Com Hitler também foi assim. Dentro e fora da Alemanha. Quando resolveram agir, já era tarde demais e nem a derrota de Hitler na Segunda Guerra acabou com o nazismo. Assim como a provável derrota de Bolsonaro não acabará com o bolsonarismo. E o golpe está tão em curso que, dessa vez, ao contrário do 7 de Setembro, quando Bolsonaro recuou e foi pedir ao Temer para escrever a “cartinha à Nação”, agora até o próprio Temer, um golpista de primeira linha, assustado com a escalada autoritária foi aconselhar Bolsonaro e teve seu conselho rechaçado por Bolsonaro. Temer, ao sugerir a Bolsonaro que anulasse o indulto até o trânsito em julgado da sentença, além de ter a sugestão recusada, ainda foi objeto de pilhéria do fascista. Ou seja, nem mesmo um golpista profissional está conseguindo parar o golpe. Nunca é demais lembrar que, depois de minar o Judiciário, Bolsonaro partirá para o Legislativo. E não vai ser comprando o Centrão, como comprou para ter hoje o Congresso nas mãos. Quando Arthur Lira, Rodrigo Pacheco e o próprio Centrão abrirem os olhos, será tarde. Quando Aras, finalmente, resolver agir, será tarde. Quando alguns juízes verem que não existe mais Judiciário, será tarde. E até alguns representantes da mídia, que hoje colaboram com o golpe, poderão se tornar a “Rede Globo do amanhã”. Aí poderemos falar: “Deixaram chegar, e não foi o Flamengo”.

PASTOR VAGABUNDO ORGANIZOU MOTOCIATA

A motociata de Bolsonaro na Rodovia dos Bandeirantes, em São Paulo, que se constituiu em uma propaganda eleitoral ilegal, teve outro ingrediente comum à folha corrida do fascista: ela foi organizada por um pastor. E, a exemplo de outros “pastores” que apoiam Bolsonaro, o organizador da motociata também é vagabundo e criminoso. O nome do vagabundo é Jacksom Vilar da Silva. Ele é pastor e empresário. E, o que não chega a ser novidade: ele recebeu, ilegalmente, auxílio emergencial do governo entre 2020 e 2021, totalizando um benefício de 5.700 reais, que foi tirado de quem realmente necessitava para encher a burra desse canalha. Foram ao todo 15 parcelas, que deveriam ser destinadas a pessoas necessitadas em razão da pandemia, mas que foram parar, de forma ilegal e criminosa, no bolso desse “pastor” bolsonarista. Os dados estão no Portal da Transparência.

Mais uma vez, a exemplo do escândalo de corrupção no MEC, um pastor safado, vagabundo e criminoso está na linha de frente de atos carimbados por Bolsonaro. Agora que foi revelado o roubo desse vagabundo bolsonarista, esperamos que a Justiça tome as medidas legais. Primeiro, contra a motociata, que foi propaganda política antecipada. E ainda, a devolução da quantia e punição do pastor vagabundo organizador do evento ilegal e que roubou dinheiro dos pobres e necessitados. Essa foi apenas mais uma dos “pastores do Bolsonaro”. Canalhas!

AFINAL, O QUE QUER O PT?

“Se não querem apoio, é só avisar, que a gente não fica perdendo tempo.” (Paulinho da Força, deputado federal e presidente do Solidariedade, depois de ser vaiado por petistas em ato em que foi anunciar seu apoio à candidatura de Lula).

Solidariedade suspende apoio a Lula após vaias a Paulinho da Força”. (Manchete do portal Revista Forum, de 16 de abril de 2022)

Estamos a menos de seis meses daquelas que serão as mais importantes eleições da história do Brasil. Porque serão as eleições que decidirão se o fascismo se consolida ou se o fascismo é banido de nosso país. E só há um candidato com musculatura eleitoral para banir o fascismo que chegou ao poder em 2018. Esse candidato é o Lula. Não há terceira via. Na verdade, nunca houve, e os pré-candidatos que se apresentam como alternativas do que chamam de terceira via estão em permanente autofagia.

Porém, faltando menos de seis meses para a eleição presidencial mais importante do Brasil, começo a ficar preocupado com as estratégias do PT para derrotar Bolsonaro. Seria “salto alto”, “oba-oba” que canta vitória antes do tempo? Seria radicalismo? Sectarismo? O PT quer mesmo ganhar a eleição?

Na semana que passou, Lula deu gás aos bolsonaristas depois de se pronunciar sobre o aborto. Ele não falou nada de errado ao dizer que o aborto é uma questão de saúde pública. Mas não tinha nada que, nesse momento, tocar no assunto. Primeiro, que não é o Presidente que decide e também porque é um tema sensível às pautas ultraconservadoras do bolsonarismo. Até porque temas como esses, fora da campanha oficial, desgastam o candidato. Era tudo o que os bolsonaristas queriam. As milícias virtuais fascistas, desvirtuando o que Lula falou, logo fizeram a farra com a fala de Lula totalmente intempestiva. Como se não bastasse, o líder petista ainda prometeu tirar os 8 mil militares nomeados por Bolsonaro dos cargos de confiança. Novamente perdeu o tempo da fala. Isso não se diz. Isso se faz, e só quando se chega ao poder, coisa que ainda está longe de ser garantida pelo líder petista. Bolsonaro, mais uma vez, agradeceu. Lula ainda foi além: recomendou que seus seguidores pressionem as famílias de parlamentares nas portas de suas casas. De novo, Bolsonaro agradeceu.

Mas não é só o Lula que parece jogar contra sua própria candidatura. Em um ato de apoio à candidatura de Lula, o deputado federal Paulinho da Força foi vaiado por militantes e sindicalistas presentes ao evento. Inacreditável! Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, é um deputado que tem um bom naco de votos no meio sindical e seu partido pode agregar um bom apoio a Lula, em uma eleição que será extremamente dura. O constrangimento pelo qual passou Paulinho da Força pode custar caro à candidatura de Lula. Paulinho da Força já avalia tirar seu apoio ao Lula. Mais uma vez Bolsonaro agradece. Ciro Nogueira, o chefe da Casa Civil de Bolsonaro, já chamou o Paulinho da Força para mudar de lado. Afinal, será que o PT, partido de tanta história, ainda sabe que eleição se ganha com votos? Porque se aqueles que vaiaram o Paulinho da Força forem coerentes, terão que vaiar o Alckmin e muitos outros que apoiaram o golpe contra Dilma, mas querem hoje apoiar o Lula. Mas parece que eles ainda não entenderam que é hora de deixar o passado para trás e agregar forças para extirpar o fascismo do Brasil. Vaias a quem quer apoiar Lula não agregam. Vaias a quem quer apoiar Lula tiram votos. Vaias a quem quer apoiar Lula fortalece Bolsonaro. E o PT pode, por causa dessas vaias, perder os votos do Paulinho da Força para o Bolsonaro. Resultado das vaias: Paulinho da Força anunciou que cancelou o evento em que anunciaria, oficialmente, o apoio de seu partido ao Lula. De novo, Bolsonaro diz “muito obrigado!”

Paulinho da Força se manifestou e apenas uma frase do que falou depois do constrangimento pelo qual passou, resume o que muitos que pretendem votar no Lula pensam:

“Nós precisamos fazer uma discussão mais séria sobre o que o PT quer”.

Nunca é demais lembrar que Lula mantém a dianteira sobre Bolsonaro em todas as pesquisas, mas a diferença vem caindo. Bolsonaro tem a máquina na mão, se deixou abduzir pelo Centrão, para quem entregou o FNDE e o orçamento secreto, está fazendo concessões eleitoreiras e vem se recuperando gradualmente. Lula ainda tem uma boa gordura, mas não pode continuar falando demais fora de hora. E os petistas não podem ficar enxotando e vaiando quem quer apoiar Lula. Na última semana, os maiores adversários do PT foram o Lula e os próprios petistas. Ou o PT e os petistas mudam ou o fascismo, mais uma vez, triunfará. E se isso acontecer, tememos que seja para sempre.

MEC, VIAGRA E O DEBOCHE DOS MILICOS

Ato contínuo ao escândalo de corrupção no MEC em que onde ficou provado, através de uma gravação, que pastores a mando de Bolsonaro negociavam repasses de verbas em troca de vantagens em dinheiro e ouro, agora estoura o escândalo da compra de Viagra e próteses penianas para os militares. Foram 35 mil comprimidos do “azulzinho milagroso”, em uma dosagem que vários médicos já disseram que nada tem de recomendado para hipertensão pulmonar.

Em relação à evidente corrupção no MEC, a tropa de choque bolsonarista já melou a CPI que apuraria mais detalhes da pilantragem governamental no Ministério da Educação. Se bem que, com o Aras como “blindador geral do Bozo”, certamente nada evoluiria. Mas não foi só. Sabe-se, e ficou provado, que Bolsonaro conversou com os pastores do “ministério paralelo” da educação e o teor da conversa foi colocado em sigilo por 100 anos. Para quem tinha a obsessão de “abrir a caixa preta do BNDES” (aliás, abriu e nada do que procurava encontrou), colocar uma conversa em sigilo por 100 anos, além de absurdo em si mesmo, manda às favas o discurso para enganar trouxas sobre “transparência”. E a justificativa para colocar a conversa de Bolsonaro com os pastores corruptos é tão absurda como a decisão de escondê-la por 100 anos: a vida do Presidente estaria em risco se a conversa fosse divulgada. Não foi a primeira vez que Bolsonaro decretou sigilo de 100 anos para a os subterrâneos de seu governo. E o Bozo debochou, ao responder a um internauta o porquê de colocar tanta coisa em sigilo: “Em 100 anos saberá”.

E o escândalo do Viagra? Depois da farra da picanha, veio a farra do Viagra e da prótese peniana para os militares. O vice-presidente, general Mourão, também respondeu com deboche ao ser questionado: “Eu não posso usar meu Viagra?”

Já houve quem dissesse que, se fosse descoberto que as universidades públicas tivessem comprado Viagra e prótese peniana para os professores, haveria uma guerra civil. As duas maiores autoridades do país, ao se pronunciarem sobre escândalos e corrupção envolvendo os pastores do MEC e os milicos, debocharam.

No fim, a verdade prevaleceu, apesar dos malditos agentes ventríloquos do fascismo: não tinha kit gay nem mamadeira de piroca nas escolas; não tinha plantação de maconha nem balbúrdia nas universidades. Mas tinha cocaína no avião da FAB, tinha farra da picanha nos quartéis e também Viagra para os outrora “imbrocháveis” das casernas. A Terra plana capota…

DUDU BANANINHA E A PRAIA PAULISTANA

“Ê, Ê, Ê, Ê, a praia de São Paulo é o Rio Tietê!

A,E.I,O,U, a praia de São Paulo é a banheira do Gugu!” (Cantos de zoação das torcidas cariocas quando jogavam contra times da capital paulista).

O deputado Eduardo Bolsonaro, vulgo “Dudu Bananinha” ainda não deu a explicação geográfica que justifique o pagamento de uma emenda parlamentar que apresentou e que pagou um campeonato de surfe na cidade de… São Paulo. O sujeito é deputado federal por São Paulo e o estado possui um litoral considerável, porém, a capital paulista não tem praia.

A emenda parlamentar do Dudu Bananinha foi aprovada, apesar de todas as irregularidades técnicas apresentadas. O valor é de 1 milhão e, e a emenda foi aprovada em tempo recorde no Ministério da Cidadania. O beneficiado seria o Instituto Vincere, que promove práticas esportivas. Foram apontadas várias irregularidades no convênio. Uma das irregularidades foi a menção da realização, pelo Instituto, do primeiro Surf Tour de São Paulo. A capital paulista, mesmo não tendo praia, foi incluída como uma das sedes em que o campeonato de surfe aconteceria.

Resta a Dudu Bananinha esclarecer em que local da capital paulista aconteceria o campeonato de surfe: no Rio Tietê ou na banheira do Gugu?

FASCISTA DESCONHECIDO AMEAÇA LULA COM ARMA SÓ PARA APARECER

O que um fascista-bolsonarista totalmente desconhecido, como um vereador de Mauá, município de São Paulo, pode fazer para ganhar as manchetes de jornais e sites e tornar-se conhecido no atual momento político, principalmente sendo ele um candidato a deputado federal? Ameaçar Lula com uma arma e colocar o vídeo com as ameaças nas redes sociais. Pronto. Foi exatamente isso o que fez um tal de “Sargento não sei de quê” (não vou mencionar o nome desse traste fascista) que ameaça Lula, enquanto carrega uma arma. O sujeito faz questão de aparecer com o distintivo de policial.

No vídeo, o fascista desconhecido fez a ameaça depois que Lula havia falado para que os parlamentares fossem incomodados ou pressionados. Então, o “Sargento não sei de quê” convida Lula e o povo dele para irem até a sua casa. O vídeo é patético e deprimente e mostra o nível a que o fascismo chegou no Brasil. O fascista desconhecido então “convida Lula para um café”.

Não vamos divulgar o vídeo para não dar vitrine para esse fascista. Mas transcrevemos, abaixo, o que disse o energúmeno bolsonarista no vídeo que postou:

“Oi, Lula. Tudo bem? Estava aqui em casa, tomando café com minha família, nós vimos um vídeo seu falando para visitar os deputados federais, deputado federal tem família. Eu sou vereador, pré-candidato a deputado federal em São Paulo. Eu queria te convidar, convidar seu povo, para vir aqui em casa tomar um café comigo. Você eu sei que até esses dias morava em Curitiba, nas sela da Polícia Federal, não é isso? Agora a gente não sabe onde você mora. Fala para mim onde você mora. Eu quero visitar você aí também. Tomar um café com você. Vai ser um prazer te receber aqui em casa ou ir na sua casa tomar um café com você, tá bom? Tamo junto, Lula”.

PICARETA, MORO APRESENTA ENDEREÇO DE HOTEL

“Faça a coisa certa, pelos motivos certos e do jeito certo” (Sérgio Moro, em abril de 2020, dando “lição de moral”).

A picaretagem do ex-juiz suspeito e parcial Sérgio Moro parece não ter fim. O ex-ministro bolsonarista, para poder mudar de domicílio eleitoral, apresentou o endereço de um hotel em São Paulo. Os advogados do juiz parcial e picareta disseram que ele “criou vínculos políticos em São Paulo” e que, assim, justifica-se a mudança de domicílio eleitoral. Todos sabem, e nem precisa de investigação, que Moro sempre foi político, principalmente quando era juiz parcial. Mas ele sempre foi um político do Paraná. Jamais teve qualquer vínculo político com São Paulo. A mudança de domicílio eleitoral em si já seria uma picaretagem. Informando o endereço de um hotel como sua residência, a picaretagem é maior ainda, porque configura que ele está ali de passagem. A propósito, a “nova residência” de Moro é o Hotel Intercontinental, que fica na capital paulista.

Moro é aquele que aconselhava a “fazer a coisa certa, pelos motivos certos e do jeito certo”. Quá!

BRASIL VAI ÀS RUAS: BOLSONARO NUNCA MAIS!

O (des)governo Bolsonaro trouxe para o Brasil: aumento do desemprego e da fome, aumento absurdo dos combustíveis e do gás de cozinha, corrupção, sendo o caso mais recente o que envolve a atuação de pastores que recebiam propina para liberar verbas no Ministério da Educação. Contra todo esse estado de coisas, o Brasil vai às ruas hoje contra Bolsonaro. Tendo como palavra de ordem “Bolsonaro Nunca Mais!”, mais de 70 cidades do país organizaram atos contra o (des)governo do genocida. Abaixo, a lista completa das cidades onde ocorrerão manifestações contra o genocida e os respectivos horários:

Norte
AC – Rio Branco – Mercado Velho | 16h
AP – Macapá – Praça da Bandeira | 16h
AM – Manaus – Praça da Saudade | 16h
PA – Belém – Escadinha da Presidente Vargas | 8h

Nordeste
AL – Maceió – Praça dos Martírios | 9h
BA – Feira de Santana – Estacionamento em frente à prefeitura | 8h30
BA – Ilhéus – Praça do Teatro no Centro Histórico | 12h
BA – Itabuna – Praça Adami | 9h
BA – Salvador – Concentração no Campo Grande | 14h 
BA – Vitória da Conquista – Praça 9 de Novembro | 8h
CE – Fortaleza – Praça Portugal | 15h
MA – Imperatriz – Calçadão, Centro | 9h
MA – Santa Inês – Praça das Laranjeiras | 8h
MA – São Luís – Praça João Lisboa | 9h
PB – Campina Grande – Praça da Bandeira | 9h
PB – João Pessoa – Ponto dos Cem Réis | 9h
PE – Recife – Parque Treze de Maio | 9h
PI – Parnaíba – Em frente a UFDPar | 8h30
PI – Teresina – Posto 6, Jockey (Cruzamento Av. Homero com a Av. Dom Severino) | 8h
SE – Aracaju – Praça de Evento dos Mercados | 8h
RN – Natal – Praça Gentil Ferreira Alecrim | 8h às 12h

Centro-Oeste
DF – Brasília – Museu da República | 16h
GO – Goiânia – Praça do Trabalhador | 16h
GO – Jataí – Praça Tenente Diomar Menezes | 8h
GO – Rio Verde – Rotatória do Cristo Redentor | 9h
MS – Campo Grande – Avenida Afonso Pena c/ 14 de Julho | 9h
MS – Dourados – Feira Livre Central, Rua Cafelândia | 8h

Sudeste
ES – Vitória – Sede da Petrobras, Av. Reta da Penha | 15h30
MG – Barbacena – Praça São Sebastião | 8h30
MG – Belo Horizonte – Praça Afonso Arinos | 9h30
MG – Juiz de Fora – Parque Halfeld | 10h
MG – Montes Claros – Mercado Municipal | 8h
RJ – Arraial do Cabo – Prainha | 9h
RJ – Campo dos Goytacazes – UFF Campos | 9h
RJ – Nova Friburgo – Centro de Turismo Praça Demerval Barbosa Moreira | 15h
RJ – Rio das Ostras – Feira do Âncora (Próx. ao Centro de Cidadania) | 8h
RJ – Rio de Janeiro – Candelária | 10h
SP – Botucatu – Praça do Bosque | 14h 
SP – Campinas – Largo do Rosário | 9h
SP – Carapicuíba – Calçadão da Av. Rui Barbosa | 10h
SP – Jaú – Praça da República, Jd. de Baixo | 9h
SP – Marília – Praça da Ilha, em frente a Galeria Atenas | 9h30
SP – Mogi das Cruzes – Largo do Rosário | 10h
SP – Osasco – Estação de Osasco | 12h30
SP – Presidente Prudente – Praça do Vale, Parque do Povo | 16h
SP – Ribeirão Preto – Esplanada Theatro Pedro II | 9h 
SP – Santos – Estação da Cidadania, Av. Ana Costa 340 | 16h
SP – São Bernardo do Campo –  Rua Tapajós, nº3, Vila Scopell | 10h
SP – São Carlos – Estacionamento do McDonald ‘s da Av. São Carlos | 9h
SP – São Paulo – Praça da República | 14h 
SP – São Vicente – Praça Barão | 10h
SP – Sorocaba – Boulevard Braguinha x Barão de Rio Branco | 9h30

Sul
PR – Cascavel – Em frente a Catedral | 9h
PR – Curitiba – Praça Generoso Marques | 14h30
PR – Foz do Iguaçu – Praça da Bíblia | 18h
PR – Guarapuava – Praça 9 de Dezembro | 15h
PR – Maringá – Praça Raposo Tavares | 14h
PR – Turvo – Praça 31 de Outubro | 14h
PR – Umuarama – Praça Arthur Thomas | 10h
RS – Caxias do Sul – Praça Dante Alighieri | 9h30
RS – Novo Hamburgo – Praça do Imigrante | 10h
RS – Osório – Praça da Igreja | 9h30
RS – Pelotas – Mercado Público | 10h
RS – Porto Alegre – Largo Glênio Peres | 15h
RS – Rio Grande – Largo Dr. Pio, Centro | 10h
RS – São Leopoldo – Estação São Leopoldo | 14h
RS – Santa Maria – Praça Saldanha Marinho | 14h
RS – Santana do Livramento – Parque Internacional | 9h30
RS – Tramandaí – Praça da Tainha | 15h
SC – Florianópolis – Largo da Alfândega | 9h
SC – Joinville – Praça da Bandeira | 14h