RASGANDO A MÍDIA

a caverna de platão“Rasgar a mídia” não é um ato pueril de rebeldia. É um contraponto àquilo que os setores dominantes das comunicações querem impor às pessoas, sem permitir que, ao menos, elas reflitam. Há cerca de 2500 anos o filósofo Platão, em seu famoso Mito da Caverna, já chamava a atenção para o modo como a aparência era tomada por realidade. Dizia-nos o filósofo grego que a humanidade está acorrentada na caverna, vendo apenas as sombras e tomando-as como realidade. Portanto, esses prisioneiros da caverna viveriam iludidos. E como conhecer a verdade? Platão diria que apenas saindo da caverna. Se Platão vivesse hoje, especialmente no Brasil, com certeza ele não falaria em “caverna” e sim em “mídia”. A grande mídia,  controlada por famílias milionárias e influentes, com ramificações em todos os poderes, é a grande caverna em que vivemos. Hoje, vivemos os tempos da pós-verdade: a mídia facciosa, historicamente golpista e falaciosa,  usa os métodos nazi-fascistas para impor as aparências como verdades. É a velha tática “à la Goebbels” de repetir sistematicamente as mentiras, até que elas assentem-se como verdade no imaginário popular.

Nossa missão é de contraponto. Rasgaremos e quebraremos todos os tipos de mídia que, a nosso entender, funcionam como “cavernas”. Tentaremos fazer com que vocês visitantes vejam aquilo que, quase nunca, a “caverna midiática”,  deliberadamente, não quer que vocês vejam. Claro que temos uma linha, inclusive política. O que não significa que tenhamos uma linha partidária. Somos emotivos, temos opiniões, mas somos equilibrados. Apoiamos a Operação Lava-Jato (para todos!) e, ao mesmo tempo, entendemos que o impeachment da Dilma foi um golpe. E não vemos nenhuma contradição nisso.

Aqui tentaremos passar ferramentas para que vocês vejam o contraponto da “caverna midiática”. Na política, na história e até no futebol mostraremos aquilo que eles não querem que vocês saibam.

Claro que temos princípios. E eles são muito claros:

  1. Somos antifascistas e antidireitistas de um modo geral;

  2. Somos anti-Organizações Globo;

  3. Todo visitante é bem-vindo, inclusive aqueles que discordem de nós.

  4. Repelimos qualquer tipo de posicionamento racista, homofóbico ou  misógino;

  5. Somos políticos, como qualquer um, mas não partidários.

            Encontre-nos aqui. Temos muitas ideias a trocar. E não se assustem ao me verem quebrando aparelhos de TV, rádios ou computadores. Faz parte dessa missão.

              E não se deixe enganar: Saia da caverna!