“BOI BOMBEIRO”? E A BOIADA?

Depois do “peixe inteligente”, surge uma nova espécie no governo Bolsonaro: o “boi bombeiro”. “Se tivéssemos um pouco mais de gado no pantanal, isso teria sido um desastre até menor do que nós tivemos este ano”. Foi o que disse a ministra da Agricultura e defensora dos interesses dos ruralistas (e não do meio ambiente), Tereza Cristina. Evidentemente, a afirmação da ministra conhecida como “musa do veneno”, contempla os interesses dos ruralistas e, como sempre, se tratando do governo Bolsonaro, não tem qualquer base científica. Mas, claro, tem o apoio do criminoso ambiental, o seu colega Ricardo Salles.

Os fatos, dizem os especialistas, mostram exatamente o contrário. Sabe-se que o número de cabeças de gado na região Centro-Oeste teve uma redução insignificante e, mesmo assim, as queimadas foram as maiores da história. Portanto, a tal versão do “boi bombeiro” é mais um conto-da-carochinha do governo terraplanista.

Na verdade, não é o boi que atua como bombeiro. Porque mesmo com o boi no pasto, a “boiada do Ricardo Salles”, passando de forma criminosa, afrouxando as leis ambientais, reduzindo a fiscalização e fazendo vistas grossas para os seus comparsas que devastam o meio ambiente, não há brigada contra incêndios que resista . Os bois estão no pasto. O problema, é que a “boiada do Ricardo Salles”, na baciada, como ele mesmo falou, vai cometendo, até aqui impunemente, os maiores crimes ambientais da história brasileira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s