O OLARIA E SEUS GRANDES MOMENTOS NOS 70 ANOS DO MARACANÃ

Hoje, dia 16 de junho, o Estádio Mário Filho, popular “Maracanã”, completa 70 anos. E nessa data queremos relembrar 21 jogos que marcaram a história do Olaria no estádio e que, evidentemente, orgulham os torcedores olarienses. Um desses 21 jogos que relembraremos, embora não tenha sido do Olaria, entraria para a história do clube bariri (vocês saberão o porquê). Selecionar esses 21 jogos nesses 70 anos de Maracanã não foi nada fácil, pois foram centenas de jogos desde 1950. Cada um desses jogos teve um significado especial e, evidentemente, também fazem parte da história do nosso Maracanã. Vamos a eles, pela ordem cronológica:

JOGO 1 – 12 DE AGOSTO DE 1950: PRIMEIRO JOGO PELO ESTADUAL, PRIMEIRO GOL

Em 12 de agosto de 1950, o Olaria estreava no Campeonato Estadual menos de um mês após a final da Copa do Mundo em que o Brasil foi derrotado pelo Uruguai. Naquela primeira rodada o Olaria, com a sua já tradicional camisa branca de faixa azul enfrentou o Fluminense, que jogou com a também tradicional camisa tricolor. Era o primeiro jogo do Olaria disputando um campeonato estadual no Maracanã. No final, empate em 2 a 2. O atacante Maxwell entraria para a história por ter marcado o primeiro gol do Olaria, em campeonatos estaduais, no Maracanã. O outro gol olariense foi marcado por Alcino. Nesse ano o Olaria teve uma das melhores equipes de toda a sua história que, comandada pelo técnico Domingos da Guia (pai do Ademir da Guia), chegaria em quinto lugar, à frente, inclusive, de Flamengo e Fluminense.

Imagem acima: lance do jogo pela primeira rodada do campeonato estadual de 1950, no Maracanã, entre Olaria e Fluminense. Destacam-se na foto o atacante olariense Maxwell e o goleiro tricolor Castilho.

JOGO 2 – 9 DE SETEMBRO 1950: A PRIMEIRA GOLEADA

No dia 9 de setembro de 1950, pelo Campeonato Carioca, o Olaria goleava o Botafogo por 5 a 0, com 2 gols de Jarbas, 2 de Maxwell e 1 de Alcino. Foi a primeira goleada do Olaria no Maracanã – e sobre um grande adversário.

Imagem acima: a equipe do Olaria que goleou o Botafogo no Maracanã, em 9 de setembro de 1950.

JOGO 3 – 17 DE JULHO DE 1960: O PRIMEIRO TÍTULO

No dia 17 de julho de 1960, um domingo, o Olaria conquistou o seu primeiro título oficial no Maracanã. Foi o Torneio Início. Depois de superar a Portuguesa, o Botafogo e o Vasco, o Olaria chegava à final com o Fluminense, derrotando o tricolor por 2 a 0, gols de Jaburu e Petit. Mesmo jogando com um jogador a menos, após a expulsão de Da Silva, a equipe bariri garantiu a vitória. O Olaria sagrava-se, de quebra, o primeiro campeão do recém-criado Estado da Guanabara, com a taça de campeão sendo entregue ao capitão do Olaria, o zagueiro Sérgio, por João Havelange. Uma gloriosa página escrita pelo Olaria no Maracanã!

Imagem acima: edição esportiva de O Globo, mostrando os detalhes da conquista do Torneio Início de 1960 pelo Olaria no Maracanã, quando a equipe bariri derrotou o Fluminense por 2 a 0 na final.

JOGO 4 – 22 DE JULHO DE 1962 – QUASE QUE O TIME NÃO CHEGA!

Domingo, 22 de julho de 1962. O Olaria enfrentaria o timaço do Botafogo que tinha, entre outras estrelas, Nilton Santos, Zagallo, Amarildo, Didi, Rildo e o goleiro Manga. Além da tarefa dificílima de ter que enfrentar os craques botafoguenses, um revés quase faz o Olaria perder o jogo por WO. Isso porque, na época, a concentração do Olaria ficava na rodovia Washington Luís (a Rio-Petrópolis). No caminho para o Maracanã, o ônibus da delegação olariense enguiçou em plena estrada. Foi um sufoco, numa época em que não existia telefone celular. O socorro demorou a chegar e o time do Olaria, devido ao atraso, teve que trocar de roupa dentro do ônibus e, chegando ao Maracanã, entrou em campo sem aquecimento. Mesmo com todas as adversidades, o Olaria abriu o placar com Cané. No segundo tempo, o Botafogo virou o jogo, com gols de Amarildo e Didi. Porém, faltando 7 minutos para o fim da partida, o Olaria empatou, com um gol marcado por Válter. Final: Olaria 2 X 2 Botafogo. Mesmo com todas as adversidades, o Olaria se superou e escreveu uma bela página de sua história no Maracanã.

Imagem acima: Cané, em destaque na foto, marcou o primeiro gol do Olaria no histórico 2 a 2 contra o Botafogo no Maracanã, em 1962.

JOGO 5 – 28 DE MARÇO DE 1963: UMA CHUVA DE GOLS PELO RIO-SÃO PAULO

Era a última rodada do Torneio Rio-São Paulo e o Olaria enfrentaria, no Maracanã, a Portuguesa de Desportos. A equipe do Olaria na época era chamada pela mídia de “espantalho”, pela grande campanha do ano anterior e pelo medo que metia em seus adversários. Pela primeira vez o Olaria participava do Rio-São Paulo. Eram dois grandes times, cada um com um grande artilheiro: pelo Olaria, Luís Carlos e pela Portuguesa de Desportos, Nair. A Portuguesa chegou a abrir a vantagem de 3 a 1, mas o Olaria virou de forma sensacional para 4 a 3, com Luís Carlos marcando os quatro gols olarienses. No final, a Portuguesa empatou e o jogo terminou em 4 a 4. Foi um dos jogos mais eletrizantes do torneio e com uma chuva de gols, em uma competição da qual só participavam os melhores do Rio de Janeiro e de São Paulo. Na beira do gramado, dois gigantes do futebol comandavam as equipes: Davi Ferreira, o “Duque”, era o técnico do Olaria e Oto Glória o técnico da Portuguesa de Desportos. Bons tempos aqueles!

JOGO 6 – 22 DE MARÇO DE 1964: PELÉ VESTE A CAMISA DO OLARIA

O dia era 22 de março de 1964 e o Fluminense enfrentaria o Santos no Maracanã pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa. E o que o Olaria tem a ver com esse jogo? Bem, nesse jogo o time do Santos entrou em campo com cada jogador vestindo a camisa de um time carioca, em agradecimento ao apoio que os torcedores do Rio de Janeiro haviam dado ao Santos nos jogos dos Mundiais de 1962 e 1963, em que o Santos foi bicampeão mundial jogando as partidas finais no Maracanã. Foi uma homenagem do Santos aos torcedores dos clubes cariocas e, para orgulho e honra dos olarienses, Pelé entrou com a camisa do Olaria. No final, Santos 1 X 0 Fluminense, com gol de Pepe. Nesse dia o Olaria não entrou em campo no Maracanã. Porém, mesmo sem ter pisado no gramado, o Olaria entrou para a história.

Imagem acima: o time do Santos antes da partida contra o Fluminense em 1964, na homenagem da equipe santista à torcida carioca, vendo-se Pelé com a camisa do Olaria.

JOGO 7 – 11 DE SETEMBRO DE 1968 – EMPATE E MAIS UM TÍTULO

No dia 11 de setembro de 1968, uma quarta-feira, o Olaria jogou contra o São Cristóvão, no Maracanã, pela última rodada do Torneio Fernando Rufino. Esse jogo foi a preliminar de Flamengo X Bonsucesso. O Olaria precisava apenas de um empate para sagrar-se campeão invicto. No final, empate de 1 a 1, com o atacante Bá marcando o gol olariense. O Olaria levantava mais uma taça no Maracanã. De quebra, o atacante do Olaria Antunes ainda foi o artilheiro da competição.

Imagem acima: No Maracanã o atacante Bá, do Olaria (à direita), dirige-se para o vestiário. Bá marcou o gol que garantiu o título do Torneio Fernando Rufino para o Olaria em 1968.

JOGO 8 – 12 DE ABRIL DE 1970: VITÓRIA SOBRE A SELEÇÃO BRASILEIRA

A seleção brasileira que sagrou-se tricampeã em 1970 é inesquecível. Inglaterra, Uruguai e Itália, grandes seleções da época, perderam para o Brasil na Copa daquele ano. Mas o Olaria, em pleno Maracanã, derrotou a seleção brasileira por 1 a 0. O dia era 12 de abril de 1970 e, em um amistoso preparatório, o Olaria derrotou a seleção por 1 a 0, com gol do atacante Nado, aos 37 minutos do segundo tempo. Uma página gloriosa e inesquecível da história do Olaria no Maracanã.

Imagem acima: o gol de Nado (em destaque na foto), que deu a vitória do Olaria sobre a seleção brasileira (que seria tricampeã no México) por 1 a 0, no Maracanã, em 12 de abril de 1970.

JOGO 9 – 10 DE ABRIL DE 1971: FLU TEVE QUE “RALAR” PARA EMPATAR!

Sábado, 10 de abril de 1971. Pela sétima rodada do Campeonato Estadual, o grande time do Olaria que vinha fazendo uma excelente campanha e estava invicto, enfrentaria o Fluminense. O Fluminense, que tinha uma excelente equipe e foi o campeão daquele ano, não conseguiu derrotar o Olaria. Placar final: 0 a 0 e, no dia seguinte, o Jornal dos Sports estampava em sua manchete: “Olaria é uma parada!”

Imagem acima: “Olaria é uma parada: 0 a 0” – noticiou o Jornal dos Sports no dia seguinte ao empate de 0 a 0 entre Olaria e Fluminense no Maracanã. Na foto, Altivo, do Olaria e Denílson, do Fluminense.

JOGO 10 – 24 DE ABRIL DE 1971: O “OLÉ DE POBRE” NO BOTAFOGO

O timaço do Olaria, terceiro colocado do Estadual em 1971, enfrentou outro timaço: o do Botafogo, vice-campeão naquele ano, em 24 de abril de 1971. A equipe botafoguense estava recheada de tricampeões mundiais, como Carlos Alberto, Jairzinho, Brito e Paulo César. O jogo terminou empatado em 0 a 0, e entraria para a história como o jogo em que o timaço do Olaria deu olé no Botafogo. A revista Placar, na época, destacou que nos três minutos finais do jogo, o Botafogo não tocou na bola, levando um estrondoso “olé” do Olaria, para a ira de Carlos Alberto, o capitão, que chamou o olé dos olarienses de “olé de pobre”. Os jogadores alvinegros, ironicamente, aplaudiam o time do Olaria. Após o jogo, Carlos Alberto declarou: “Foi bom o Olaria dar o seu olé de pobre. De agora em diante, depois de metermos um gol, vou fazer a bola rolar pelo meu pescoço.” Inesquecível!

Imagem acima: após o “olé” que o Olaria aplicou no Botafogo, em pleno Maracanã, a revista Placar deu destaque ao show olariense e à revolta de Carlos Alberto, o capitão do tri, que chamou o “olé” do Olaria de “olé de pobre”. Na foto, o craque olariense Afonsinho deixa mais um botafoguense caído.

JOGO 11 – 5 DE JUNHO DE 1971: GRANDE VITÓRIA SOBRE O VASCO

No Maracanã, o timaço do Olaria de 1971 despachou o Vasco da Gama por 2 a 0 no dia 5 de junho de 1971, com gols de Antoninho e Eberval (contra). O Vasco, que havia sido o campeão em 1970, ainda tinha grandes jogadores que foram campeões no ano anterior, como o goleiro Andrada, que não conseguiu evitar os gols e a grande vitória olariense.

Imagem acima: o Jornal dos Sports, em 6 de junho de 1971, destacava a classe do Olaria na vitória de 2 a 0 sobre o Vasco, no Maracanã.

JOGO 12 – 26 DE JUNHO DE 1971: O JOGO DO “PONTO FRIO”

Olaria X Flamengo. Era a última rodada do campeonato estadual e o timaço do Olaria já tinha, ao menos, o terceiro lugar garantido. No dia seguinte, teríamos a polêmica final em que o Fluminense derrotaria o Botafogo por 1 a 0. Se o Olaria vencesse o Flamengo e o Botafogo derrotasse o Fluminense, o Olaria seria o vice-campeão. Com a colocação alcançada no estadual o Olaria já tinha assegurado, pelo regulamento, a sua classificação para o Brasileirão de 1972. No entanto, a CBD mudou o regulamento e exigiu que a classificação também seria por renda. Então, a loja de eletrodomésticos “Ponto Frio”, solidária ao Olaria, comprou todos os ingressos de Olaria X Flamengo, o que garantiu o Olaria no campeonato brasileiro. No entanto, um dirigente da CBD traidor, chamado Antônio do Passo, virou a mesa, excluiu o Olaria e convidou o América, que tinha ficado atrás do Olaria tanto pelo critério técnico como pela renda. Em campo, o Flamengo derrotou o Olaria por 1 a 0, gol de Fio. Porém, mesmo com a derrota, o Olaria garantiu o terceiro lugar.

Imagem acima: O timaço do Olaria entra em campo no Maracanã na última rodada do estadual de 1971 para enfrentar o Flamengo, vendo-se ainda a grande torcida olariense na arquibancada.

JOGO 13 – 23 DE FEVEREIRO DE 1972: GARRINCHA ESTREIA NO OLARIA

Era a primeira rodada do Campeonato Estadual de 1972 e 50 mil pessoas foram ao Maracanã assistir Olaria X Flamengo. A grande novidade era a estreia de Garrincha pelo Olaria. Gessê abriu o placar para o Olaria e, no final do jogo, Doval empatou para o Flamengo. O jogo terminaria 1 a 1 e Ubirajara, goleiro do Flamengo, fez uma grande defesa, evitando aquele que seria um gol olímpico de Garrincha. Inesquecível!

Imagem acima: Garrincha, em sua estreia pelo Olaria no jogo contra o Flamengo no Maracanã, em 1972.
Imagem acima: Garrincha, em sua estreia pelo Olaria em 1972, no Maracanã. A revista Placar afirmou que “Mané Garrincha voltou com dignidade.”
Imagem acima: em 1972, até o jornal O Estado de São Paulo noticiou a volta de Garrincha no jogo contra o Flamengo no Maracanã.

JOGO 14 – 23 DE AGOSTO DE 1972: ÚLTIMO JOGO OFICIAL DE GARRINCHA

Pelo Estadual de 1972, no dia 23 de agosto, o Olaria era derrotado pelo Botafogo por 1 a 0. Apesar da derrota, esse jogo entraria para a história porque foi o último jogo oficial de Garrincha. O “anjo das pernas tortas” fazia o último jogo oficial de sua carreira com a camisa olariense e, ironicamente, contra o clube que o consagrou.

JOGO 15 – 10 DE NOVEMBRO DE 1973: UM EMPATE INACREDITÁVEL

Pelo Campeonato Brasileiro de 1973, o primeiro com a participação do Olaria, a equipe bariri realizou um feito incrível no Maracanã: o Olaria perdia por 2 a 0 para o Botafogo até os 35 minutos do segundo tempo. Quando todos pensavam que a vitória alvinegra já estava garantida, Jair Pereira e Jair Ganso marcaram para o Olaria nos minutos finais, decretando o placar final em 2 a 2.

JOGO 16 – 24 DE MARÇO DE 1974: INESQUECÍVEL VITÓRIA SOBRE O FLU

1974 foi o ano da segunda participação do Olaria no Campeonato Brasileiro e, em 24 de março, o time olariense conquistaria uma das vitórias mais retumbantes de sua história. A equipe bariri derrotou o Fluminense por 3 a 2, com gols de Antoninho, Jair e Jair Pereira. Foi uma verdadeira epopeia, com o goleiro Ronaldo, do Olaria, tendo sido expulso no segundo tempo e com o Olaria não podendo mais fazer substituição. Coube a Da Costa, mais conhecido como “Batata”, ser improvisado no gol olariense. Com menos um jogador e com um jogador da linha no gol o Olaria, mesmo assim, sairia vitorioso. Inesquecível!

Imagem acima: Jair Pereira (número 15) marca, de cabeça, o gol da vitória épica do Olaria sobre o Fluminense por 3 a 2 no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro de 1974.

JOGO 17 – 29 DE JULHO DE 1976: O FANTASMA DERROTA O BOTAFOGO

Em 1976 o time do Olaria era chamado pela mídia de “Fantasma da Bariri” porque assustava, de fato, os seus adversários. Naquele ano, pelo campeonato estadual, no dia 29 de julho, o “Fantasma” derrotava o Botafogo no Maracanã por 1 a 0, gol de Fernando Pirulito.

Imagem acima: o time do Olaria de 1976 que derrotou o Botafogo por 1 a 0 no Maracanã.

JOGO 18 – 12 DE ABRIL DE 1981: AOS 45 DO SEGUNDO TEMPO!

1981 foi o ano em que o Olaria sagrou-se campeão brasileiro da Taça de Bronze e alguns jogos foram disputados no Maracanã. O mais importante e memorável de todos, no entanto, foi contra o São Borja, do Rio Grande do Sul, no dia 12 de abril. Sem vencer aquele jogo, o Olaria não seria o campeão. Jogo disputadíssimo. O empate, que persistia até o final, tiraria o Olaria da disputa. Porém, aos 45 minutos do segundo tempo Zeíca, de pênalti, garantiu a vitória olariense, dando um gigantesco passo para o título e levando os olarienses que estavam no Maracanã à loucura.

Imagem acima: em 1981 o empate contra o São Borja no Maracanã persistiu até quase o fim do jogo, quando Zeíca marcou de pênalti para o Olaria no último minuto.
Imagem acima: o histórico gol de pênalti marcado por Zeíca no Maracanã em 1981, que garantiu a vitória do Olaria sobre o São Borja no último minuto do jogo.

JOGO 19 – 30 DE OUTUBRO DE 1988: VITÓRIA QUE VALEU O ACESSO

Em 1988 o Olaria, na segunda divisão, fez um jogo decisivo contra o Campo Grande valendo uma vaga na elite. O Nova Cidade já era o campeão do certame e a segunda vaga seria disputada nesse jogo. O empate levaria a disputa para os pênaltis. O jogo aconteceu no Maracanã, no dia 30 de outubro, tendo sido a preliminar de Fluminense X América. Com um incrível gol de Eduardo, chutando uma bola alta que ainda quicou antes de entrar, o Olaria venceu o jogo por 1 a 0 e garantiu o seu retorno à primeira divisão, para delírio da torcida olariense no Maracanã.

JOGO 20 – 23 DE JANEIRO DE 2005: INESQUECÍVEL VITÓRIA SOBRE O FLAMENGO

Era a abertura do campeonato estadual de 2005 e o Olaria, com transmissão ao vivo pela TV, enfrentaria o Flamengo logo de cara. Foi certamente a maior estreia do Olaria em campeonatos estaduais, com uma retumbante vitória por 3 a 0 sobre os rubro-negros, com 2 gols de William e 1 de Edvaldo. O Flamengo não viu a cor da bola, mesmo com o Olaria jogando com um atleta a menos durante boa parte do segundo tempo.

Imagem acima: em pleno Maracanã, jogadores do Olaria comemoram mais um gol na inesquecível vitória sobre o Flamengo por 3 a 0 em 2005.

JOGO 21 – 3 DE FEVEREIRO DE 2010: UM EMPATE ELETRIZANTE CONTRA O FLA

Era a sexta rodada do campeonato estadual e o Olaria enfrentaria o Flamengo de Adriano e Vagner Love no Maracanã. Logo no primeiro minuto do jogo, Cacá abriu o placar para o Olaria. Em seguida, Adriano empatou para o Flamengo. Na segunda etapa, Vagner Love fez 2 a 1 para o Flamengo, mas o Olaria virou para 3 a 2 com Araruama, depois de uma linda jogada, e Cacá cobrando pênalti. Porém, Vagner Love empataria novamente a partida, que foi muito disputada até o fim e terminou em 3 a 3. Um jogão! Uma brilhante página escrita pelo Olaria no Maracanã.

Imagem acima: Cacá comemora o terceiro gol do Olaria (o segundo dele), no eletrizante empate contra o Flamengo por 3 a 3 no Maracanã, pelo Campeonato Estadual de 2010.

2 comentários sobre “O OLARIA E SEUS GRANDES MOMENTOS NOS 70 ANOS DO MARACANÃ

  1. Nailton

    Alô Pedro Paulo. Grande reportagem. Sensacional. Grandes lembranças. Somente uma solicitação. Poderia colocar as escalações do Olaria em cada evento? Obrigado.
    Nailton Santos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s