MORO, O CORRUPTO, FOI CONDENADO

“A corrupção de Moro” é o título do artigo de Bernanardo Mello Franco publicado no Globo de hoje, um dia após o Supremo Tribunal Federal declarar que o ex-juiz e ex-ministro bolsonarista Sérgio Moro foi parcial no julgamento de Lula. É sintomático que um jornal, que sempre defendeu Moro e os crimes por ele cometidos, traga em suas páginas um artigo com esse título no dia seguinte ao Supremo ter declarado Moro parcial no julgamento de Lula. Mas não havia outro jeito. As provas de que Moro foi parcial, ilegal e imoral, além de fartas, são de uma “solar clareza”, para usar a expressão do ministro Nunes Marques, que ainda tentou, com sua metáfora, tapar essa clareza com a peneira para safar o xerife da agora finada República de Curitiba.

A injustiça foi reparada, mas os danos causados pelos crimes de Moro jamais serão revertidos. O Supremo até demorou para se pronunciar sobre o que era clarividente. Mas o corrupto, parcial e criminoso ex-juiz deve pagar pelos crimes que cometeu contra o Judiciário, contra o Estado de Direito e contra a democracia. Porém, apesar de a injustiça cometida contra Lula ter sido reparada, os danos criminosos de Moro são irreparáveis.

Mas declarar Moro parcial não é suficiente. Porque juiz parcial é “juiz ladrão”. O corrupto, parcial e criminoso ex-juiz Moro deve pagar pelos crimes que cometeu contra o Judiciário, contra o Estado de Direito e contra a democracia. Tanto ele como seus comparsas do Ministério Público, que transformaram instituições que deveriam servir à sociedade em verdadeiras organizações criminosas, devem ir para a cadeia. Moro e toda a quadrilha chefiada por ele devem ser presos, para o bem da justiça e da democracia.

O “mito Moro” acabou. E acabou no lodo fétido e subterrâneo que ele próprio e seus comparsas como Dallagnol e Cia. criaram. Que seja o início de um caminho para que outro chamado “mito”, beneficiado pelos crimes de Moro, também acabe.

VÍDEO: PAPAI NOEL BOLSONARISTA AGRIDE JORNALISTA

Paulo César Bretas, um idoso barbudo de 68 anos, trabalha como “Papai Noel” em um shopping de Belo Horizonte. Mas o “bom velhinho”, que tira fotos com as crianças, não é apenas o “Papai Noel”. Ele é um dos bolsonaristas enfurecidos que ontem hostilizaram um jornalista do jornal “Estado de Minas”. O nome do jornalista, por motivo de segurança, não foi revelado pela empresa de comunicação. Mas o Papai Noel bolsonarista foi mais além. Enquanto o jornalista era hostilizado pelos seus comparsas, o Papai Noel desferiu um golpe de capacete no profissional de imprensa que registrava o ato dos fascistas contra o isolamento social e contra o Supremo Tribunal Federal.

O golpe de capacete dado pelo Papai Noel bolsonarista pode ser visto aos 2 minutos de vídeo. O Papai Noel bolsonarista foi levado à delegacia e responderá por agressão. Assistam:

PAZUELLO POR UM TRIZ E BOZO NA SINUCA

O desastre na gestão da pandemia por parte do governo Bolsonaro já leva o capitão fascista a pensar na demissão de Pazuello, que nada mais fez do que servir de fantoche para realizar as atrocidades de Bolsonaro. Pazuello bancou o uso de cloroquina, não usou verbas do Ministério da Saúde, foi negacionista e, por diversas vezes, desautorizado e desmoralizado por Bolsonaro, aceitou cumprir o papel de bucha. Tudo para satisfazer aos devaneios genocidas de Bolsonaro. Mas parece que, depois de usado e pisoteado, o general não tem mais serventia e agora, a exemplo de outros, será descartado como lixo.

No momento em que o Brasil caminha para as 300 mil mortes e o sistema de saúde já anuncia o seu colapso, além da falta de vacinas e atraso na imunização, Bolsonaro parece já sentir o tranco e, vislumbrando o estrago que a incompetência de seu governo pode fazer em 2022, já pensa em rifar o general-fantoche. Principalmente depois do discurso de Lula há uma semana, elogiado dentro e fora do Brasil no qual, dentre outras coisas, Lula deu uma aula de como enfrentar a pandemia.

Mas Bolsonaro só tem duas escolhas, e aí ele entrou em uma sinuca. A cotada para o cargo, a cardiologista Ludhmila Hajjar, tem uma visão técnica, é contra a cloroquina, a favor do isolamento social e já criticou o próprio Bozo. Se quiser mudar o quadro, a doutora Ludhmila seria o nome certo. Ela é bancada pelo Centrão, aliado de Bolsonaro. Aparentemente, seria tranquilo para o Bozo deletar o general e nomear a doutora Ludhmila. Mas aí vem a sinuca em que o Bozo se meteu. Porque a ala ultra-fascista que apoia Bolsonaro é contra a nomeação da doutora, que aparentemente defende tudo o que Bolsonaro sempre atacou. Mas se não ceder ao Centrão, seus deputados fisiológicos logo poderão tirar-lhe o apoio. E é bom lembrar que o Lula voltou à cena!

O que o Bozo fará? Colocará um novo fantoche como ministro da Saúde para nada mudar e agradar à sua ala de extremistas fanáticos, desagradando ao Centrão? Ou nomeará o nome do Centrão, mais técnico, e desagradará a sua ala de extremistas e milicianos digitais?

Enquanto isso, por incompetência, omissão, e negacionismo oficiais, o vírus vai devastando vidas. As 300 mil mortes lamentavelmente já batem em nossa porta.

ZÉ GOTINHA NÃO É MILICIANO!

Imagem acima: a versão miliciana do Zé Gotinha feita por Eduardo Bolsonaro, onde a vacina aparece como um fuzil.

“O Zé Gotinha é um personagem do bem, criado com fins educativos. Colocá-lo com uma arma na mão é um péssimo exemplo que se pode dar a uma criança. Apologia de arma é coisa séria”. (Darlan Rosa, artista e criador, em 1986, do personagem “Zé Gotinha”).

O grande assunto da semana foi a anulação das condenações de Lula. julgado pelo parcialíssimo juiz e militante político Sérgio Moro. O ministro do STF, Edson Fachin, anulou as condenações em razão de a Vara Federal de Curitiba não ter competência para julgar o ex-Presidente. Com isso, Lula voltou a ser elegível e já assombra o clã miliciano comandado por Jair Bolsonaro.

Na segunda-feira, em um longo discurso, Lula enquadrou Bolsonaro e reduziu tanto o capitão fascista como seu governo a pó de titica. Criticando a política econômica, ridicularizando a tese bolsonarista de que “a Terra é plana” e considerando a sua condenação como “a maior mentira jurídica dos últimos 500 anos de história”, Lula não demonstrou ressentimentos e acenou para uma agregação com campos políticos liberal e de centro, o que mostra que ele não é um extremista, como muitos que, embora o saibam, insistem em dizer. Seu discurso foi muito elogiado. Ele foi equilibrado e falou como estadista, coisa que Bolsonaro nunca foi e jamais será. Um dos pontos altos do discurso de Lula foi sua defesa às vacinas e ao uso de máscaras no combate à pandemia.

As repercussões positivas do discurso de Lula, tanto dentro como fora do Brasil, levaram Bolsonaro e seu clã ao desespero e Bolsonaro, enquadrado, passou a mudar o tom. Logo depois do discurso, Bolsonaro apareceu usando máscara e defendendo a vacina (coisa que sempre negou, chegando a dizer que não se vacinaria porque não queria virar jacaré). Lula é mesmo o fantasma de Bolsonaro, que sabe que só ganhou a eleição porque tiraram seu grande adversário da disputa. Não teve cientista, médico ou sanitarista que convencesse Bolsonaro a usar máscara, mas foi logo Lula falar que ele passou a usar. Foi sintomático também, como consequência do discurso de Lula, ver Bolsonaro em uma live com um globo terrestre sobre a mesa.

E até o filhote 03 do fascista, Eduardo Bolsonaro, de uma hora para outra, passou a defender a vacina. Eduardo Bolsonaro, criminosamente, publicou uma versão miliciana do Zé Gotinha, famoso personagem das campanhas de vacinação criado em 1986 pelo artista Darlan Rosa. Zé Gotinha sempre foi, em todos os governos, uma atração para as crianças nos postos de saúde em dia de vacinação e até profissionais da saúde se vestiam de Zé Gotinha para alegrar as crianças. Mas Eduardo Bolsonaro que, a exemplo de seu pai, sempre foi um negacionista, opondo-se à vacina e mandando as pessoas “enfiarem a máscara no rabo”, também sentiu o tranco do discurso de Lula e logo tratou de dizer que “nossa arma agora é a vacina”. Por que só “agora”? Só que Dudu Bananinha apropriou-se de um personagem que já é um patrimônio cultural do Brasil para dar-lhe feições milicianas, representando-o com um fuzil. Darlan Rosa, o artista que criou o personagem, lamentou a versão miliciana de sua criação feita pelo Dudu Bananinha.

Agora é tarde Dudu Bananinha! Bolsonaro não ocupou o espaço que deveria ocupar de líder e estadista na maior crise sanitária do país e Lula em um dia já fez mais do que todos vocês. Lula já fez um bem para o país, forçando Bolsonaro a “defender” a vacina e usar máscara. E até o nosso planeta Bolsonaro já diz que é esférico. Mas o Zé Gotinha nunca foi e jamais será miliciano!

PESQUISA IPEC: LULA LIDERA POTENCIAL DE VOTO

O Ipec (Intelegência em Pesquisa e Consultoria) divulgou sua última pesquisa sobre potencial de votos em relação aos possíveis candidatos à Presidência da República em 2022. Nesse tipo de pesquisa, os entrevistados declaram, em relação aos nomes indicados, se votariam com certeza, poderiam votar ou não votariam de jeito nenhum. O resultado da pesquisa mostra que Lula é o que tem melhores condições de derrotar o fascismo bolsonarista. Os resultados da pesquisa, que ouviu 2002 pessoas em 143 municípios do país, entre os dias 19 de 23 de fevereiro é:

Em relação a Lula: 50% dos entrevistados afirmaram que votariam com certeza ou poderiam votar nele, enquanto 44% disseram que não votariam nele de jeito nenhum.

Em relação a Bolsonaro: É menos aceito e mais rejeitado do que Lula. 38% afirmaram que votariam nele ou poderiam votar, enquanto 56% não votariam nele de jeito nenhum.

Quanto aos demais possíveis candidatos, Sérgio Moro tem 31% de entrevistados que votariam nele ou poderiam votar, enquanto que Luciano Huck aparece com 28%, Haddad com 27%, Ciro Gomes com 25%, Marina Silva com 21%, Mandetta com 15%, Doria com 15% e Guilherme Boulos com 10%.

Um detalhe interessante que a pesquisa mostrou: Moro é mais rejeitado do que Lula, com 50% dos entrevistados declarando que não votariam de jeito nenhum no marreco de Maringá, para desespero de “Mervais”, “Mainardis”, “Sardenbergs” e similares.

A pesquisa também revelou que Lula ainda é o mais forte no Nordeste e entre as pessoas de baixa renda, enquanto Bolsonaro é mais forte no Sul e entre os mais ricos.

A pesquisa ratifica a polarização Lula X Bolsonaro, dada a grande distância entre os dois primeiros colocados e os demais e também que o capital político de Lula ainda é maior do que o do fascista que atualmente ocupa a Presidência da República.

Não nos esqueçamos de que o STF está para julgar a parcialidade do ex-juiz e ex-ministro bolsonarista Sérgio Moro, o que poderá tornar Lula elegível. Será que vai ter tuíte do general e do Comando do Exército ameaçando a Suprema Corte?

MERVAL PEREIRA “BARRICHELLO”

Hoje, em sua coluna no Globo, o jornalista tucano-lavajatista Merval Pereira, ao comentar a prisão do fascista Daniel Silveira, manifestou-se sobre o tuíte ameaçador do general Villas Bôas postado em 2018, no qual o general dirigia-se em tom ameaçador ao STF às vésperas do julgamento de um habeas-corpus que poderia beneficiar o ex-presidente Lula. Só agora, passados três anos, Merval Pereira protestou contra o tuíte ameaçador do general que atentava contra a democracia e o livre exercício dos poderes. Mas o que se pergunta é: por que só agora, três anos depois, Merval Pereira protesta contra o tuíte em que o general ameaçava a democracia? Escreveu Merval em sua coluna de hoje:

“A revelação do general Villas Bôas de que a nota da pressão sobre o Supremo Tribunal Federal (STF) na véspera do julgamento de um habeas corpus a favor do ex-presidente Lula foi feita não em caráter pessoal, mas pelo Alto-Comando do Exército, é muito mais grave do que já parecia há três anos. Não importa se você gosta do Lula ou não, se acha que ele merecia o habeas corpus ou não. É um absurdo que o Alto-Comando do Exército respalde uma declaração daquelas às vésperas de um julgamento do STF”.

Hoje já se sabe que o general Villas Bôas fez uma confissão: o tal tuíte, antes de ser postado, foi aprovado pelo Alto-Comando do Exército, o que é ainda mais grave. Se já era grave um general ameaçar o STF, imagine todo o comando do Exército. Mas na ocasião, tanto Merval como seus patrões das Organizações Globo se calaram. Porque valia tudo para Lula ficar fora da disputa presidencial. E ficou. Só que o candidato tucano, apoiado pela Globo e pelo Merval, naufragou. E agora, a democracia e a própria Globo do Merval correm sérios riscos com o governo fascista que eles ajudaram a parir.

Então, como agora eles estão ameaçados, três anos depois Merval Pereira resolve protestar contra o absurdo ataque à democracia contra o qual ele não emitiu um pio há exatos três anos. Agora, já podemos chamá-lo de “Merval Pereira Barrichello”.

DEPUTADO BOLSONARISTA É PRESO!

O deputado federal fascista Daniel Silveira acaba de ser preso pela Polícia Federal. Bolsonarista, Daniel Silveira tem um longo histórico de crimes contra a democracia e o Estado de Direito. Foi ele que, na companhia do também fascista Rodrigo Amorim e do então candidato Wilson Witzel, quebrou a placa que homenageava Marielle Franco. Foi ele que, também na companhia de Rodrigo Amorim, invadiu o Colégio Pedro II para intimidar alunos e professores. Ele também já era investigado pela participação em atos antidemocráticos que pediam o fechamento do Congresso, do STF e a volta do AI-5.

Agora, o fascista foi preso logo após publicar um vídeo atacando o ministro do STF, Edson Fachin, e a Suprema Corte de um modo geral. O vídeo é uma exposição de crimes contra a democracia e de ameaças à segurança nacional. O deputado fascista já se encontra preso. A ordem de prisão foi expedida pelo ministro Alexandre de Moraes, que também foi insultado e ameaçado no vídeo publicado por Daniel Silveira.

Em um dos trechos da ordem de prisão, o ministro Alexandre de Moraes destaca:

“Ressalte-se, ainda, que, a prática das referidas condutas criminosas atentam diretamente contra a ordem constitucional e o Estado Democrático.”

Mesmo depois de ser preso, a Polícia Federal, sabe-se lá o porquê, ainda permitiu que o delinquente fascista postasse mais um vídeo, ainda em sua casa, fazendo novos ataques ao ministro Alexandre de Moraes, além de novas ameaças.

Resta agora saber se o também bolsonarista que preside a Câmara, Arthur Lira, tomará as medidas cabíveis para cassar o mandato desse rato de esgoto da ditadura.

MAIS UM CRIME DE MORO, VULGO “RUSSO”

Nas conversas entre os procuradores da Lava-Jato o apelido de Sérgio Moro é “Russo”. Não se sabe ao certo a origem da alcunha, embora existam algumas teorias. Uma delas diz que Sérgio Moro, por ser muito frio, assim como os russos, teria ganho o apelido que corre entre os procuradores. Mas a tal frieza de Moro parece desabar quando se trata de Lula. Um juiz “frio” deveria ser, antes de tudo, imparcial e suas sentenças muito severas, não importa a quem doesse. Mas o “doa a quem doer” e “a justiça é para todos” nunca foram regras da conduta de Moro como juiz. Pergunte aos seus amigos tucanos.

E agora, em mais um diálogo entre os procuradores obtido pela defesa de Lula, um aspecto da “frieza” de Moro foi revelado. Imaginem um juiz que “autoriza” uma operação de busca e apreensão que não foi pedida por ninguém. Isso mesmo. Uma operação de busca e apreensão geralmente é pedida pelo Ministério Público e o juiz pode ou não acatar. Mas, o que dizermos de uma operação de busca e apreensão que não foi pedida por ninguém e, ainda assim, foi “autorizada” por Moro? Parece surreal. E é. Vejam o diálogo abaixo, em que os próprios procuradores estranham a decisão de Moro e, com satisfação, brincam com a “autorização” feita pelo “Russo”:

27 Feb 16
• 18:18:04 Luciano Flores Russo deferiu uma busca que não foi pedida por
ninguém…hahahah
• 18:18:20 Renata Rodrigues  Kkkkk
• 18:18:20 Renata Rodrigues Como assim?!
• 18:18:37 Luciano Flores Normal… deixa quieto…
• 18:19:40 Luciano Flores Vou ajeitar…kkkk
• 18:26:56 Prado APF
• 21:54:20 Januario Paludo Foi informado pela odebrecht. Kkk

No diálogo, os próprios procuradores reconhecem o absurdo, mas riem. Dizem que “é normal”. E dizem ainda para “deixar quieto”. Parece uma quadrilha de falsos guardiões da lei agindo em favor de interesses escusos e blindando um juiz mafioso. E é.

O EMOJI DO MORO

Já imaginaram um juiz comemorar ou expressar alegria porque alguém foi denunciado? O que poderia demonstrar maior prova da parcialidade de Moro, além de várias outras já conhecidas, do que o então juiz ter respondido com um emoji de felicidade quando Dallagnol o informou que a denúncia contra Lula seria protocolada? O ícone da alegria foi digitado por Moro como resposta à notícia que lhe foi dada por Dallagnol, em postagem do dia 14 de dezembro de 2016. E Moro ainda acrescentou: “um bom dia afinal”.

A felicidade expressa no emoji do Moro foi revelada em um documento que mostra as mensagens subterrâneas entre Moro e Dallagnol , com a retirada do sigilo das conversas determinada pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski. Seis meses após o emoji, Moro decretava a condenação de Lula, começando a definir a eleição de 2018.

Resta saber quando o STF julgará a escancarada e vergonhosa parcialidade de Moro. E sabemos que já está em curso uma manobra para livrar o ex-juiz de seus crimes. Parece que, depois de 2018, a eleição de 2022 começará a ser decidia nos tribunais. Só que, dessa vez, no STF. E que não seja com emojis de alegria ou de tristeza e sim com o julgamento de juízes que sejam exatamente o que Moro nunca foi: imparciais.

CANDIDATO BOZO-CENTRÃO É ELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA

Arthur Lira, o candidato do Centrão e do Bolsonaro, é o novo presidente da Câmara dos Deputados. Bolsonaro se arreganhou àquilo que ele próprio chamou, não faz muito tempo, de “o que há de pior na política brasileira”: as prostitutas do Centrão (olha a “nova política”!). A vitória de Bolsonaro foi construída com o velho “toma lá, dá cá” (olha a “nova política” outra vez!), com liberação de verbas para deputados e loteamento de cargos no governo. Claro que a fatura do Centrão vai chegar. Como sempre chegou para todos os outros. O candidato do grupo de Rodrigo Maia, o “chorão”, sofreu uma ampla derrota. Foram 302 votos para Arthur Lira contra 145 de Baleia Rossi, placar que foi suficiente para o candidato de Bolsonaro ser eleito em primeiro turno. Abaixo, o resultado completo:

Arthur Lira (PP-AL): 302 votos

Baleia Rossi (MDB-SP): 145 votos

Fábio Ramalho (MDB-MG): 21 votos

Luiza Erundina (PSOL-SP): 16 votos

Marcel Van Hattem (NOVO-RS): 13 votos

André Janones (AVANTE-MG): 3 votos

Kim Kataguiri (DEM-SP): 2 votos

Gen. Peternelli (PSL-SP): 1 voto

Maia, que teve seu mandato marcado pela covardia e omissão, ao ignorar todas as dezenas de pedidos de impeachment contra Bolsonaro, foi humilhado pelo seu próprio partido, o DEM, levando uma verdadeira rasteira do “Toninho Malvadeza Neto”, novo aliado do Bozo (“nova política” outra vez!). O candidato de Maia foi largado na pista pelo próprio DEM. Enquanto Bozo e seu aliado “Malvadeza Neto” comemoravam a vitória, o covarde e omisso Rodrigo Maia chorava pela derrota e pela humilhação que seu próprio partido o infringiu.

O Centrão agora avançará pelo governo e, ávido por verbas e poder, tornará Bolsonaro refém de seu fisiologismo. Resta saber até quando a relação irá durar. Talvez, quem sabe, até a primeira chantagem. Aguardemos.