UM PROFESSOR SUBIU A RAMPA

Imagem acima: representantes do povo com Lula. À direita, de terno preto, o professor Murilo Jesus, que subiu a rampa com Lula, representando uma das categorias mais perseguidas por Bolsonaro e seus comparsas durante 4 anos.

A escolha dos oito representantes da sociedade brasileira que subiram a rampa do Palácio do Planalto com Lula não foi, evidentemente, por acaso. Todos representavam, naquele momento simbólico, algumas das maiores vítimas das perseguições, violências e agressões cometidas ao longo de quatro anos de desgraça bolsonarista: índios, negros, mulheres, sindicalistas, professores. Sim, os professores e a educação como um todo, em todos os níveis, foram alvos da destruição perpetrada por Bolsonaro.

Ao longo de seus quatro anos no poder, os ministros da Educação de Bolsonaro atacaram sistematicamente as universidades, as escolas e os professores. Professores foram tratados como “doutrinadores de esquerda”, “maconheiros” e, no caso dos professores do ensino público, eles foram até chamados de “parasitas” pelo ministro-banqueiro de Bolsonaro. A todo momento, Bolsonaro e seus cães de guarda, tentaram intimidar professores com o projeto fascista chamado “Escola Sem Partido”, que tenta calar a voz crítica dos mestres na escola. Foram inúmeros os casos de invasões de escolas por fascistas bolsonaristas e, em um dos casos mais rumorosos e lamentáveis, até o condenado-anistiado Daniel Silveira, chegou a invadir o Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, para promover agressões aos professores. Mas os professores também foram atacados por Bolsonaro quando este não quis renovar o Fundeb, de onde sai grande parte do salário dos professores. E, quando o Fundeb foi renovado pelo Congresso, o governo Bolsonaro ainda tentou surrupiar verbas do Fundo para escolas particulares. Criminoso!

Bolsonaro demonizou Paulo Freire, Patrono da Educação Brasileira e orgulho dos professores, e exaltou Carlos Alberto Ustra, um torturador sanguinário. Criminoso!

Como se não bastasse, Bolsonaro vetou o projeto que assegurava internet para alunos e professores da escola pública. Seu compromisso nunca foi com o ensino público. Criminoso!

Escolas e universidades foram sucateadas, o MEC se transformou em um antro de corrupção promovida por pastores bolsonaristas que cobravam propina em dinheiro, barras de ouro e Bíblias, conforme foi comprovado em vídeo. Foi outra porrada nos professores, enquanto cortava tudo para a educação. Em sua perseguição às universidades, cortou verbas que comprometeram até o pagamento das contas básicas das instituições, como água e luz. Criminoso!

Ontem, o professor de Língua Portuguesa Murilo Jesus subiu a rampa com Lula, representando a sociedade brasileira. Sim, um professor subiu a rampa, o que mostra o compromisso do governo Lula com a categoria. A subida da rampa tendo um professor como representante da sociedade mostra a prioridade do governo Lula com a Educação. Representa, por um lado, a esperança por parte de uma categoria tão massacrada e odiada por Bolsonaro. Mas significa também uma advertência para alguns poucos professores, que deveriam tomar vergonha na cara e parar de apoiar o fascismo, que tanto odeia e massacra a categoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s