O OLARIA E O MUNDO CHORAM A MORTE DE PELÉ

Imagem acima: o time do Santos em 1964 no Maracanã, antes da partida contra o Fluminense, com cada jogador do Santos (exceção do goleiro Gilmar) vestindo a camisa de um time carioca e Pelé com a camisa do OLARIA.

Morreu hoje, 29 de dezembro, aos 82 anos, Edson Arantes do Nascimento, Pelé, o Rei do Futebol. Não existe, e não existirá alguém que, como Pelé, personifique o que é o futebol. Armando Nogueira já dizia que se Pelé não tivesse nascido gente, teria nascido uma bola. Ponto. Mas, nesse dia triste, muitos terão os mais variados motivos para celebrar o Rei que se foi e que, contrariando a monarquia, jamais terá herdeiros em sua realeza.

Poderíamos falar dos 1282 gols que ele marcou; poderíamos falar de ter sido o artilheiro do Brasil na Copa de 1958, com apenas 17 anos de idade; poderíamos falar que ele ganhou três Copas do Mundo, dois Mundiais de Clubes e duas Liberadores; poderíamos falar da Guerra de Biafra, na Nigéria, que ele parou em 1969, dentre outras coisas. Certamente estão, nesse momento, falando sobre tudo isso pelos arredores desse nosso pequeníssimo planeta.

Mas queremos nesse momento, em primeiro lugar, agradecer a tudo o que Pelé fez pelo futebol. Pelas alegrias que nos deu como o maior jogador do mundo, em que ele conseguia acumular o espetáculo pessoal com as grandes vitórias, fossem do Santos ou da seleção brasileira. E também externar, nesse momento, a alegria e o orgulho de Pelé ter vestido a camisa do Olaria. Sim, foi em 1964, em um jogo no Maracanã do Santos contra o Fluminense pelo Torneio Rio-São Paulo. O Santos, então bicampeão mundial de clubes, havia disputado as finais no Maracanã, em 1962 contra o Benfica e em 1963 contra o Milan. No jogo contra o Fluminense em 1964, a equipe do Santos, agradecida aos torcedores cariocas que apoiaram o time da Vila Belmiro nas duas finais, entrou em campo com cada jogador do Santos vestindo a camisa de um clube carioca. Todos iriam se perguntar: de qual clube Pelé vestiu a camisa? Ah, foi a do Flamengo, Vasco, Fluminense ou Botafogo?… Não! Foi a do OLARIA!

Hoje, na medida em que estamos tristes com a morte do rei que não terá sucessor, estamos orgulhosos por esse rei ter escolhido, há 58 anos, vestir a camisa do Olaria. É verdade que, um ano antes, em 1963, o mesmo Pelé havia marcado três gols contra o Olaria, no Pacaembu, na vitória de 5 a 1 do Santos sobre o time da Rua Bariri pelo Torneio Rio São-Paulo. De qualquer modo, ainda assim o Olaria entrou na história de Pelé, e hoje os olarienses são mais orgulhosos por terem enfrentado o rei que nos deixou, mesmo tendo tomado três gols do rei em um único jogo.

O Olaria agradece ao rei! O mundo agradece ao rei! Pelé será o único rei sem sucessor, em um reino tão disputado e com tantos impostores e usurpadores do trono como o futebol.

Obrigado Pelé, por tudo o que você foi e representou para o futebol brasileiro. Obrigado Pelé, por um dia ter vestido a camisa do Olaria. Seu trono ficará para sempre vazio, mas servirá de exemplo e lição para aqueles que pretendem, um dia, chegar a ser a ser, no máximo, um príncipe.

Um comentário sobre “O OLARIA E O MUNDO CHORAM A MORTE DE PELÉ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s