AFINAL, O QUE QUER O PT?

“Se não querem apoio, é só avisar, que a gente não fica perdendo tempo.” (Paulinho da Força, deputado federal e presidente do Solidariedade, depois de ser vaiado por petistas em ato em que foi anunciar seu apoio à candidatura de Lula).

Solidariedade suspende apoio a Lula após vaias a Paulinho da Força”. (Manchete do portal Revista Forum, de 16 de abril de 2022)

Estamos a menos de seis meses daquelas que serão as mais importantes eleições da história do Brasil. Porque serão as eleições que decidirão se o fascismo se consolida ou se o fascismo é banido de nosso país. E só há um candidato com musculatura eleitoral para banir o fascismo que chegou ao poder em 2018. Esse candidato é o Lula. Não há terceira via. Na verdade, nunca houve, e os pré-candidatos que se apresentam como alternativas do que chamam de terceira via estão em permanente autofagia.

Porém, faltando menos de seis meses para a eleição presidencial mais importante do Brasil, começo a ficar preocupado com as estratégias do PT para derrotar Bolsonaro. Seria “salto alto”, “oba-oba” que canta vitória antes do tempo? Seria radicalismo? Sectarismo? O PT quer mesmo ganhar a eleição?

Na semana que passou, Lula deu gás aos bolsonaristas depois de se pronunciar sobre o aborto. Ele não falou nada de errado ao dizer que o aborto é uma questão de saúde pública. Mas não tinha nada que, nesse momento, tocar no assunto. Primeiro, que não é o Presidente que decide e também porque é um tema sensível às pautas ultraconservadoras do bolsonarismo. Até porque temas como esses, fora da campanha oficial, desgastam o candidato. Era tudo o que os bolsonaristas queriam. As milícias virtuais fascistas, desvirtuando o que Lula falou, logo fizeram a farra com a fala de Lula totalmente intempestiva. Como se não bastasse, o líder petista ainda prometeu tirar os 8 mil militares nomeados por Bolsonaro dos cargos de confiança. Novamente perdeu o tempo da fala. Isso não se diz. Isso se faz, e só quando se chega ao poder, coisa que ainda está longe de ser garantida pelo líder petista. Bolsonaro, mais uma vez, agradeceu. Lula ainda foi além: recomendou que seus seguidores pressionem as famílias de parlamentares nas portas de suas casas. De novo, Bolsonaro agradeceu.

Mas não é só o Lula que parece jogar contra sua própria candidatura. Em um ato de apoio à candidatura de Lula, o deputado federal Paulinho da Força foi vaiado por militantes e sindicalistas presentes ao evento. Inacreditável! Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, é um deputado que tem um bom naco de votos no meio sindical e seu partido pode agregar um bom apoio a Lula, em uma eleição que será extremamente dura. O constrangimento pelo qual passou Paulinho da Força pode custar caro à candidatura de Lula. Paulinho da Força já avalia tirar seu apoio ao Lula. Mais uma vez Bolsonaro agradece. Ciro Nogueira, o chefe da Casa Civil de Bolsonaro, já chamou o Paulinho da Força para mudar de lado. Afinal, será que o PT, partido de tanta história, ainda sabe que eleição se ganha com votos? Porque se aqueles que vaiaram o Paulinho da Força forem coerentes, terão que vaiar o Alckmin e muitos outros que apoiaram o golpe contra Dilma, mas querem hoje apoiar o Lula. Mas parece que eles ainda não entenderam que é hora de deixar o passado para trás e agregar forças para extirpar o fascismo do Brasil. Vaias a quem quer apoiar Lula não agregam. Vaias a quem quer apoiar Lula tiram votos. Vaias a quem quer apoiar Lula fortalece Bolsonaro. E o PT pode, por causa dessas vaias, perder os votos do Paulinho da Força para o Bolsonaro. Resultado das vaias: Paulinho da Força anunciou que cancelou o evento em que anunciaria, oficialmente, o apoio de seu partido ao Lula. De novo, Bolsonaro diz “muito obrigado!”

Paulinho da Força se manifestou e apenas uma frase do que falou depois do constrangimento pelo qual passou, resume o que muitos que pretendem votar no Lula pensam:

“Nós precisamos fazer uma discussão mais séria sobre o que o PT quer”.

Nunca é demais lembrar que Lula mantém a dianteira sobre Bolsonaro em todas as pesquisas, mas a diferença vem caindo. Bolsonaro tem a máquina na mão, se deixou abduzir pelo Centrão, para quem entregou o FNDE e o orçamento secreto, está fazendo concessões eleitoreiras e vem se recuperando gradualmente. Lula ainda tem uma boa gordura, mas não pode continuar falando demais fora de hora. E os petistas não podem ficar enxotando e vaiando quem quer apoiar Lula. Na última semana, os maiores adversários do PT foram o Lula e os próprios petistas. Ou o PT e os petistas mudam ou o fascismo, mais uma vez, triunfará. E se isso acontecer, tememos que seja para sempre.

Um comentário sobre “AFINAL, O QUE QUER O PT?

  1. Cesar vital

    Pois é, vaiam Paulinho. Entretanto, calam-se paea Alckmin … Jucá….Eunicio…. Discordo quando se diz que não tem espaço para crescimento de outro nome. A campanha ainda nem começou. Quem força essa polarização são os dois candidatos que momentaneamente lideram. Lembro, que em 82, nesse mesmo mês, Brizola tinha apenas 2%. No final , os candidatos que lideravam, não ficaram nem em segundo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s