MARRECO: O QUEBRADOR DE EMPRESAS E PARTIDOS

O ex-juiz parcial e suspeito Sérgio Moro, vulgo “marreco de Maringá”, já entrou para a história do Brasil por seus crimes processuais, cometidos na operação Lava Jato em conluio com seus comparsas do Ministério Público, crimes esses que, além de levarem o fascismo ao poder, também levaram empresas nacionais à falência e provocaram o desemprego de milhões de trabalhadores.

Agora o marreco parece que está inaugurando uma outra modalidade de quebradeira: a quebradeira de partidos políticos. Depois de ficar 4 meses no Podemos, partido pelo qual pretendia disputar a Presidência da República, o marreco acaba de anunciar sua desfiliação do partido. Moro acaba de se filiar ao partido ultradireitista União Brasil, resultante da fusão do PSL com o DEM, e que tem como caciques Luciano Bivar e ACM Neto. Moro já é tratado como “traidor” por diversas lideranças do partido que lhe abriu as portas. Nos quatro meses em que esteve no Podemos, o partido calcula que desembolsou cerca de 3 milhões, incluindo salários pagos ao próprio Moro (ele recebia 22 mil mensais para ser candidato), viagens, hospedagens, segurança, pesquisas de intenção de voto, dentre outros. Agora, Moro deixou o Podemos para trás depois de fazer o partido gastar cerca de 3 milhões com aquilo que seria apenas o início de sua campanha. O marreco, que já era quebrador de empresas, está se tornando um quebrador de partidos.

Mas há uma grande possibilidade é de o próprio marreco vir a ser “quebrado”. Isso porque existem alas do União Brasil que querem vê-lo fora do partido. E uma dessas alas hostis ao marreco é liderada por ninguém menos que ACM Neto, um dos donos do partido. O grupo de ACM Neto no União Brasil é fortíssimo e esse grupo entende que o ingresso de Moro na legenda não poderia ocorrer na condição de Moro ser pré-candidato à presidência da República. Ou seja, mal chegou no União Brasil e Moro já começa a ser rejeitado por aqueles que seriam seus próprios pares.

Depois de dar um prejuízo de 3 milhões ao Podemos, que está se sentido traído pelo marreco, agora Moro corre o risco de nem ser candidato. Ele já havia desistido. Voltou atrás e se filiou ao União Brasil, alegando que o partido tem mais estrutura para sustentar uma candidatura à Presidência da República. Mas já está sendo rejeitado. O antigo juiz, acostumado a fazer o que bem entendia à margem da lei e sem respeitar o devido processo legal, deve estar pensando que em um partido cheio de raposas ele, sem a caneta na mão e sem a mídia a seu favor, vai fazer o que bem entender. Talvez fosse melhor o marreco ir pensando em arranjar outro emprego, porque do jeito como as coisas estão pode ser que ele não consiga legenda nem mesmo para deputado federal. Isso porque o grupo de ACM Neto quer impugnar a filiação do marreco ao União Brasil. Aí, parafraseando o que muitos babacas disseram em um passado não muito distante, teríamos “o Moro sem foro”. Quá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s