MANDETTA: O FUJÃO

Luiz Henrique Mandetta já não engana a mais ninguém. Desde o início da crise pandêmica que o ministro da Saúde, não obstante sua posição ideológica de direita, vinha conduzindo o seu ministério de forma técnica, o que o levou a ganhar alguma credibilidade. Porém, no dia seguinte ao pronunciamento genocida de Bolsonaro, Mandetta deixou a ciência e preferiu mudar o discurso, passando a criticar o isolamento social que seu próprio Ministério recomendava e que é um protocolo adotado mundialmente e recomendado pela OMS.

Agora Mandetta fez outro gol contra, ao não participar de uma reunião da OMS, que contou com a participação de ministros da Saúde de mais de 50 países. Foi uma reunião por videoconferência, com a finalidade de discutir uma estratégia global de combate ao coronavírus. Mas Mandetta não participou, apesar de o Brasil ser o país da América Latina com o maior número de casos de coronavírus. China, França, EUA e Coreia do Sul, por exemplo, estavam representadas por seus ministros. Mas o Brasil não. Como pode o ministro da Saúde não participar de uma reunião convocada pela Organização Mundial da Saúde?

Certamente Mandetta teria muito o que explicar sobre a mudança de seu discurso em relação ao isolamento social, contrariando a OMS e o que seu próprio Ministério recomendavam. Mandetta, infelizmente, capitulou e, apegado ao cargo, escolheu por não confrontar a política genocida defendida por Bolsonaro. O ministro, infelizmente e ao que tudo indica, não irá mais descer da goiabeira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s