PREFEITO DE MILÃO PEDE DESCULPAS

O dia era 27 de fevereiro e o prefeito Giuseppe Sala, de Milão, cidade que fica ao norte da Itália, na região da Lombardia, divulgava um vídeo convocando a população para sair às ruas. Afinal, o vírus não podia parar o país, especialmente Milão, uma das maiores cidades da Itália. “Milão não para” e “A Itália não pode parar” eram as palavras de ordem de uma campanha similar à de Jair Bolsonaro hoje no Brasil. Uma campanha que ia contra todas as recomendações da OMS. Uma campanha genocida. Na ocasião, em toda a Itália eram registrados 258 casos de coronavírus com 12 óbitos.

A população então, desobedecendo a ciência e a OMS, foi para as ruas e Milão “voltou à normalidade”. Resultado: hoje a Itália registra 34.889 casos da doença e 8.215 mortes. Dessas mortes, 4.474 foram só em Milão.

Um mês depois o prefeito de Giuseppe Sala veio a público reconhecer o erro e pedir desculpas. Tarde demais. Ele é o responsável por milhares de mortes em seu país. A economia se recupera e até pode ressurgir mais forte depois da crise. Já as vidas que se foram, essas não têm mais volta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s