BOLSONARO VIRA PROBLEMA PSIQUIÁTRICO

A “Associação Advogados e Advogadas pela Democracia” acaba de entrar, junto ao Ministério Público Federal, com um pedido para que Jair Bolsonaro seja interditado, isto é, considerado incapaz para os atos da vida civil e que, para isso, ele seja submetido a um exame de avaliação psiquiátrica.

O pedido de interdição de Bolsonaro tem como fulcro suas atitudes, declarações e atuação diante da pandemia que já matou milhares de pessoas pelo mundo e que vai crescendo no Brasil. Em um documento de 13 páginas, a petição mostra como a atuação de Bolsonaro perante a tragédia parece mostrar que Bolsonaro sofre de distúrbios mentais, o que o tornaria incapaz para os atos da vida civil. Na petição, os “Advogados e Advogadas Pela Democracia” afirmam:

“As atitudes de Bolsonaro parecem configurar considerável grau de desorientação e confusão psíquica.”

Desde sempre Bolsonaro desdenhou a tragédia que vem assolando o mundo. “Histeria”, “gripezinha”, declarações e informações desencontradas, confusas e irresponsáveis fazem parte do cardápio de motivos que questionam a saúde mental de Bolsonaro. Ele não apenas incentivou manifestações a seu favor em pleno avanço da doença, deixando irresponsavelmente o isolamento recomendado, como defendeu a realização de cultos nas igrejas, a realização de jogos de futebol e, na última irresponsabilidade registrada, divulgou por conta própria em um vídeo um medicamento que as autoridades da saúde já descartaram. Há dias, diante do avanço da pandemia no Brasil, ele falava de sua “festinha de aniversário”. O desencontro de afirmações sobre o seu próprio teste do coronavírus também é um dos motivos listados.

Enfim, Bolsonaro já foi um problema político. Já foi um problema sanitário. E tudo leva a crer que já virou mesmo um problema psiquiátrico.