ZEMA REPETE SARNEY

sarney ingovernável

zema 2

“A Constituição de 1988 tornou o país ingovernável.” (José Sarney, em 1988)

“A Constituição transformou o Brasil num país um tanto quanto ingovernável.” (Romeu Zema, em 2019).

A Constituição virou o alvo da direita, tanto da fascista como da liberal. 31 anos depois, agora foi a vez do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, do Partido Novo, atacar a Constituição e dizer, em entrevista à Folha de São Paulo, que nossa Carta Magna “transformou o Brasil em um país ingovernável.” A mesma afirmação já tinha sido feita por José Sarney, então Presidente da República, em 1988.

Sarney foi, politicamente, criado na estufa da UDN e da ditadura militar e, para ele, a Constituição Cidadã, que substituiu a Constituição da ditadura que ele sempre apoiou, faria do Brasil um país ingovernável. Mais direitos sociais para os trabalhadores, mais direitos e garantias individuais para os cidadãos, dispositivos que impedem o autoritarismo, eleições diretas para Presidente da República, liberdade partidária… Onde está a “ingovernabilidade”?

Agora foi a vez de Romeu Zema, governador de Minas Gerais, do Partido Novo, que é presidido pelo banqueiro João Amoedo. Aliás, o mesmo partido do Ricardo Salles, o ministro bolsonarista do meio ambiente que já foi condenado por crime ambiental. O programa do Partido Novo pode ser assim resumido: acabar com o Estado e transformá-lo em uma mega-empresa privada. Para isso, o Estado deve se desobrigar de tudo em relação aos cidadãos: previdência, saúde, educação… Não foi por acaso que, na mesma entrevista em que falou que a Constituição de 1988 torna o país ingovernável, Zema confessou apoiar toda a pauta econômica de Paulo Guedes. Nenhuma surpresa. Afinal, um partido presidido por banqueiro não pode deixar de apoiar as medidas de um governo que tem um banqueiro como ministro da Economia.

Na entrevista que deu à Folha de São Paulo Zema, que aliou-se a Bolsonaro no segundo turno em 2018, admitiu que o capitão reformado era defensor de “posições um tanto quanto extremistas…” Mas Paulo Guedes falou mais alto.

Romeu Zema é o governador do Partido Novo que usa e abusa dos voos em aeronaves oficiais. Em nome da “moralidade do Partido Novo” ele disse, em campanha, que não usaria aviões oficiais. Agora no governo, parece que transformou-se no “governador dos jatinhos do Estado”. Isso, porque ele e seu partido consideram o Estado como um estorvo. Por isso, o Estado tem que acabar (para os outros!) E a Constituição é a causa da ingovernabilidade. Faz-me rir…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s