MORO É SÓ DERROTA!

moro stf

Desde que aceitou fazer parte do governo Bolsonaro, o “ex-futuro-super-ministro” Sérgio Moro só vem acumulando derrotas. Tanto dentro do governo como no Congresso. Primeiro, foi obrigado a conviver e a ter como colega de Ministério uma pessoa que ele considera mais criminosa do que o próprio Lula. Sim, porque Moro já havia afirmado, antes de ser ministro, em uma palestra nos Estados Unidos, que “o crime de caixa 2 é pior do que o de corrupção”. Esse episódio virou até piada da família Marinho na Globo. Pouco depois, seu companheiro de Ministério, Onyx Lorenzoni, confessou, em um vídeo, ter praticado o crime de caixa 2. Moro então, já no governo, teve que “entubar” e “perdoou” Onyx. Primeira grande derrota. Primeiro grande “mico”. Primeira renúncia de seus princípios.

Depois, Moro foi desautorizado por Bolsonaro. Isso, só porque o “justiceiro de Curitiba” havia nomeado uma suplente (isso mesmo, suplente!), para um conselho consultivo que não tem qualquer poder de decisão. Foi no episódio em que Moro havia nomeado a cientista política Ilona Szabó como suplente do Conselho de Política Criminal e Penitenciária. Moro apenas “lamentou” o veto presidencial. Onde estava o “super-ministro”? Onde estava a “carta branca” que Moro teria? Mais uma derrota. Mais um “mico”.

Depois, foi o fatiamento do projeto anticrime, logo após pressão dos políticos. Logo Moro, que sempre afirmou que não cederia às pressões de políticos, principalmente em se tratando de temas como corrupção e caixa 2. Então, cedendo às pressões e contrariando seus princípios impolutos, Moro fatiou o projeto, deixando o caixa 2 de fora. Festa para os políticos. Mais um “mico” e outra derrota para Moro.

No Congresso, Moro conseguiu até ser esculachado por ninguém menos do que Rodrigo Maia, o “Botafogo” da lista de propinas da Odebrecht, quando Maia o chamou de “funcionário do Bolsonaro”. Só faltava essa. Um investigado pelo STF esculachar o “herói lavajeteiro”. Que derrota!

Depois foi o projeto de posse das armas, que foi anunciado por Bolsonaro sem mesmo ter o parecer de Moro, visto que Bolsonaro o anunciou menos de 24 horas após enviá-lo ao Ministério da Justiça. Claro que Moro nada leu. Mas, oficialmente, chancelou. Outro “mico”, outra derrota.

E agora, em mais outra retumbante derrota, a Câmara dos Deputados decidiu que o COAF deve ficar no Ministério da Economia e não no da Justiça. Moro simplesmente “lamentou o ocorrido”. E, certamente, ele que, em menos de 5 meses de governo já lamentou muito, ainda terá muito o que lamentar.

Tudo por causa de um “bilhete premiado” (leia-se, a vaga no STF), que pode até nem sair. Enquanto isso, aquela imagem do “juiz tudo posso” vai sendo erodida em um governo que ele nada apita e ainda tem que jogar no lixo suas mais sólidas convicções.

Percebe-se, apesar de Moro não admitir, o desconforto em que o Ministro da Justiça encontra-se no governo Bolsonaro. Pior: ele não pode sair (olha a vaga no STF!) E Bolsonaro, evidentemente, não pode nem pensar em demiti-lo. Que situação! E lembremos que a “casa lotérica” pode até fechar…

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s