70% E A HISTÓRIA DA INSATISFAÇÃO

pesquisa cut vox populi

Em nenhuma, rigorosamente nenhuma pesquisa feita em relação a Bolsonaro, tanto ele como o seu governo, antes mesmo de completar 100 dias, conseguem ter um bom desempenho. Primeiro, foi a pesquisa Datafolha que mostrou que os brasileiros consideram que Bolsonaro, além de trabalhar menos, é menos inteligente do que os ex-Presidentes Lula e Dilma. Depois foi a pesquisa da XP Investimentos, cujos números mostraram uma queda assustadora de confiança dos agentes do mercado financeiro no governo Bolsonaro, que caiu incríveis 58 pontos percentuais antes dos 100 dias de governo. Agora, foi a pesquisa da Vox Populi, encomendada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) que mostra que 70% dos brasileiros estão insatisfeitos com o governo Bolsonaro. Na mesma pesquisa, os entrevistados repudiam a reforma da previdência encomendada pelos banqueiros a seu preposto Paulo Guedes, são contrários a uma eventual guerra contra a Venezuela, são contra a venda do pré-sal e ainda afirmam que Lula foi preso apenas para não ser candidato.

De acordo com a pesquisa em questão, apenas 2% dos brasileiros estão muito satisfeitos com o governo Bolsonaro, enquanto que 26% afirmaram estar satisfeitos. No entanto, 53% declararam-se insatisfeitos e 17% muito insatisfeitos. Levando-se em conta que Bolsonaro teve, no segundo turno, pouco mais de 55% dos votos, se somarmos os 53% dos insatisfeitos com os 17% dos muito insatisfeitos atingiremos 70%, e ainda considerando que os muito satisfeitos somados com os satisfeitos perfazem hoje apenas 28%, com toda certeza concluiremos que está cheio de patos (ou seriam marrecos?) arrependidos nesse grande contingente de descontentes. Não tem como ninguém dizer que uma pesquisa, só por ter sido encomendada pela CUT, uma central sindical que faz oposição a Bolsonaro, teria como resultados números desfavoráveis ao Presidente. Isso porque a própria pesquisa da XP Investimentos, uma aliada do governo e do preposto do mercado e dos banqueiros, Paulo Guedes, também mostrou números incrivelmente assustadores de insatisfação e falta de confiança no governo de extrema-direita. O gráfico abaixo mostra ainda a evolução histórica dos índices de satisfação e insatisfação dos brasileiros, feita pelo mesmo instituto, desde 2008 até hoje, passando assim pelos governos Lula, Dilma, pelo governo golpista de Temer e pelo início do governo Bolsonaro:

evolução da satisfação

Percebe-se que o nível de insatisfação não sofreu grandes variações entre maio de 2008 e maio de 2013, sob governos petistas, quando começa uma elevação que atingirá, em julho de 2013, 51%. Evidentemente, gestava-se nesse período, com as “jornadas de 2013”, o alavancamento da extrema-direita, ao apropriar-se cirurgicamente de um movimento que, originariamente, não era dela, mas que muito contribuiu para a polarização eleitoral de 2014 e para o golpe de 2016. Note-se que as linhas do gráfico encontram-se exatamente em abril de 2014, com a ascensão aecista e o linchamento midiático dos governos Lula-Dilma, que quase levaram Aécio ao poder. Os dados também são claros em relação ao aumento da insatisfação pós-golpe de 2016 e a grande queda da satisfação.

Resta saber se a ficha vai cair para Bolsonaro. Porque para muitos de seus arrependidos eleitores a ficha caiu até cedo demais. A pergunta central da pesquisa foi: “Como você se sente hoje em relação ao Brasil?” e os resultados mostram, inequivocamente, o pessimismo e a frustração dos brasileiros. E pensar que ainda faltam 3 anos, 8 meses e 20 dias!

Um comentário sobre “70% E A HISTÓRIA DA INSATISFAÇÃO

  1. Pingback: 70% E A HISTÓRIA DA INSATISFAÇÃO — Pedro Paulo Rasga a Mídia – Eugenio Lula Costa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s