MOURÃO, PALESTINA E O “PRESIDENTE”

palestina e onu

“A Palestina não é um país.” (Jair Bolsonaro, em entrevista ao jornal Israel Hayom, republicada no site Bandnews em 1 de novembro de 2018).

O Vice-Presidente da República, general Hamílton Mourão, tem agido como um “bombeiro” das sandices propagadas pelo capitão-Presidente. Sempre que pode, especialmente quando está no exercício da Presidência, Mourão desmente, rebate e contradiz Bolsonaro. Principalmente quando Bolsonaro expele alguma de suas muitas besteiras. Agora, foi em relação a mais uma medida provocativa e temerária que Bolsonaro, em sua sanha belicista, havia afirmado, quando disse que tiraria a embaixada da Autoridade Nacional Palestina de Brasília, tendo em vista que, para Bolsonaro, “a Palestina não é um país”.

Não satisfeito em mudar a embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém (o que também foi desmentido por Mourão), numa nítida afronta à tradição diplomática brasileira e numa provocação que já tem trazido prejuízos na área comercial para o Brasil, Bolsonaro havia falado na campanha que tiraria a embaixada da Palestina de Brasília, ensandecendo ainda mais seus seguidores e jogando palha em um fogo extremamente perigoso. Ontem, no entanto, o general Mourão, no exercício da Presidência, recebeu o embaixador palestino Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben e afirmou que o governo não pensa em nenhuma mudança de embaixada. Disse o Vice Mourão:

“O que o embaixador da Palestina veio tratar é obviamente a questão da embaixada. Ele trouxe os representantes de religiões cristãs que estão lá. Tem quase 30 mil. A gente pensa que é todo mundo muçulmano mas não. A resposta que eu dei foi uma resposta de Estado. O Estado brasileiro não está pensando em nenhuma mudança de embaixada.”

Mourão acrescentou que a afirmação irresponsável de Bolsonaro foi durante a campanha. “Bolsonaro falou, mas foi na campanha”, acrescentou o general que, aliás, em que pese toda divergência que possamos ter (e temos), vem agindo muito mais como Presidente e estadista do que Bolsonaro.

A Palestina é considerada um Estado pela ONU, com status de “observador” e a ONU, portanto, a reconhece. A Palestina também é filiada à FIFA, tem sua seleção nacional e, atualmente, ocupa a posição 99 no ranking das 211 seleções. Só Bolsonaro não reconhece a Palestina como país. E, pelo visto, parece que Mourão também não reconhece Bolsonaro como Presidente. Ou, a continuar nesse ritmo, em breve não reconhecerá…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s