O JOGO NÃO ACABOU

segundo turnoA região Nordeste impediu que o fascismo fosse declarado o vencedor, em primeiro turno, da eleição presidencial realizada ontem. Graças aos votos nordestinos, teremos segundo turno entre Bolsonaro e Haddad. Serão três semanas não apenas de campanha e costura de alianças, mas também um período em que o eleitorado poderá conhecer melhor as candidaturas e, parece, a partir de agora Bolsonaro não terá mais álibi para se ausentar dos debates.

Se a política fosse uma ciência exata e caracterizada pela “lógica do previsível”, poderíamos afirmar que Bolsonaro será eleito. São 18 milhões de votos de diferença e, ainda que os votos de Haddad fossem somados aos de seus aliados naturais no segundo turno (Ciro Gomes e Boulos), o candidato petista não teria votos suficientes para derrotar o candidato fascista. Isso sem contar que o “pinga-pinga” de votos da direita e centro-direita, como Alckmin, Amoedo, Meirelles e Álvaro Dias, certamente migrariam para Bolsonaro no segundo turno. Essa eleição, que ainda não acabou, está sendo a eleição dos “antis”: antifascismo X antipetismo. Quem será vetado pelo povo no segundo turno? Como Haddad poderá reverter a diferença?

Olhando os números, o quadro parece ser irreversível. Mas há que se considerar que Haddad, em um mês de campanha e ainda relativamente desconhecido quando lançou-se candidato, sua ida ao segundo turno não deixa de ser uma façanha. Ainda que prevista pelos institutos de pesquisa. Diferentemente de Bolsonaro, em campanha há mais de um ano e que tornou-se o grande beneficiário do vácuo de representatividade que marca o panorama político brasileiro há tempos. Bolsonaro consegue aglutinar um eleitorado desesperado e desiludido, e para isso fala em Deus. Ele também consegue aglutinar o “medo com a insegurança”, e fala em “armar o povo”, “não dar mole para bandidos” e negar os direitos humanos. Ele também fala em “família, moral e bons costumes” e assim traz em si, também, o ranço do conservadorismo udenista. Agregando tudo isso ao anticomunismo e ao nacionalismo exacerbado, então “Tá aí o que você queria”, como diria o Januário de Oliveira quando narrava jogos de futebol.

Haddad terá que desconstruir tudo isso e terá que entrar na “seara bolsonarista” para colher algum trigo daquela messe, não importando que ali haja tanto joio. Então, o primeiro passo deveria ser reforçar o discurso em temas que parecem ser, até certo ponto, quase que um monopólio da direita, como segurança. O problema é que sabe-se que a  campanha da Haddad está dividida em uma questão fulcral: “Haddad será Haddad ou Haddad será Lula?” Claro que ele não pode deixar de ser Lula, mas o antipetismo não permite que ele seja apenas isso. Insistir na pauta da democracia também deve ser um dos caminhos da campanha. Mostrar o quanto foi penoso conquistarmos a democracia, desdenhada por um adversário que sempre defendeu a ditadura, também seria interessante. Outro caminho é mostrar as contradições de um candidato que diz ser cristão e dissemina um discurso de ódio, fazendo apologia ao armamentismo e à tortura.

Se não entrar no “campo inimigo”, Haddad perderá a eleição. E isso significa que ele terá sim que tirar votos do Bolsonaro. O segundo turno é um tempo de reflexão tanto para eleitores como para candidatos. E há tempo para levar parte do eleitorado bolsonarista à reflexão. Talvez o “campo inimigo” não seja tão minado como se imagina. Porque há uma certeza alentadora e que pode sim mudar a trajetória de alguns sufrágios: embora o fascismo tenha avançado, o Brasil não tem 50 milhões de fascistas.

 

 

 

Um comentário sobre “O JOGO NÃO ACABOU

  1. Gustavo Oliveira

    Grande Pedro Paulo, fui seu aluno, gostaria que se possível, possa fazer uma análise com a eleições peruanas de 1990, quando Fujimori (candidato fascista) foi eleito, e em 1992, deu o golpe.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s