O “AVANTE BRASIL” DE BOLSONARO

trabalho escravo infantil“País que tem Ministério Público do Trabalho não tem como ir para frente.” (Jair Bolsonaro, candidato neofascista à Presidência da República, em Catanduva, SP, em 25 de agosto de 2018).

Em mais uma de suas deploráveis e odiosas declarações, o candidato neofascista à Presidência da República, Jair Bolsonaro, desta vez atacou o Ministério Público do Trabalho (MPT). Previsto pela Constituição Federal, o Ministério Público do Trabalho tem como função promover ação civil pública visando garantir o cumprimento dos direitos sociais garantidos aos trabalhadores em nossa Carta Magna. No entanto, para Bolsonaro, um órgão que atue para garantir direitos dos trabalhadores é um estorvo.

Só para se ter uma ideia da importância do órgão que Bolsonaro considera um estorvo para o país, o Ministério Público do Trabalho atua, por exemplo, no combate ao trabalho infantil e ao trabalho escravo. Claro que, ao fiscalizar coisas desse tipo, o MPT incomoda, e muito, fazendeiros e empresários que não cumprem a legislação trabalhista, exploram menores e mantêm trabalhadores em regime de escravidão. Em um passado recente, quando empresas ainda podiam fazer doações para campanhas eleitorais, muitas das que eram denunciadas pelo MPT financiavam campanhas de políticos que votavam conforme seus interesses. Ano passado, por exemplo, Temer queria facilitar o trabalho escravo, para a alegria dos grandes fazendeiros criminosos. Aliás, o MPT já vem sendo constantemente agredido no governo golpista de Temer e, apesar disso, resiste. As restrições orçamentárias às quais o órgão é submetido dificultam, e muito, a efetivação de suas funções constitucionais. Só para se ter uma ideia, de cada 10 denúncias sobre trabalho escravo, o MPT só tem condições de investigar apenas uma. O governo Temer, de forma criminosa, já vem estrangulando esse importante órgão de defesa dos direitos do trabalhador e que combate, inclusive, crimes bárbaros como a escravidão e o trabalho infantil.

Mas, se Temer colocou o MPT agonizando, Bolsonaro quer dar logo o “tiro” (como não podia deixar de ser) de misericórdia. E, como o próprio candidato neofascista já reiterou inúmeras vezes, ao dizer que “o trabalhador tem que escolher entre trabalho ou direitos”, acabar com o Ministério Público do Trabalho é um dos caminhos de “tirar o Estado do cangote do produtor”  e colocá-lo para oferecer apenas trabalho sem direitos. Avante Brasil!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s