PALAVRAS DO GENERAL

general villas boas“A violência no Rio decorre de décadas em que partes significativas da população não tiveram necessidades básicas atendidas. Isso tudo vai se represando e transborda sob a forma de violência. Então, é um problema com raízes muito profundas.”

A lapidar afirmação acima não foi feita por nenhum integrante de partido de esquerda e nem por nenhum “comunista”. A declaração é do comandante do Exército Brasileiro, o General Eduardo Villas Bôas, em entrevista ao jornalista Roberto D’Ávila e que foi muito divulgada pelos veículos de comunicação nos últimos dois dias. Se tal declaração fosse feita por outra pessoa, certamente ela seria chamada pelos reacionários de “esquerdista” ou “comunista”. Porém, as sábias palavras acima foram de ninguém menos do que o homem que comanda o nosso Exército. E, claro, ele nada tem de esquerdista ou “comunista”.

O general Villas Bôas  sabe que a questão da violência tem suas raízes na ausência total do Estado em relação às primordiais necessidades da grande maioria da população. E isso não significa, de forma alguma, “defender bandidos”.  Será que é esse o “Estado mínimo” que a direita tanto defende? Sim, porque o “Estado mínimo”, ou sua ausência total, é visto exatamente nas regiões onde são registrados os maiores índices de criminalidade. E é aí que entram os “tais direitos humanos”, tão desdenhados pela direita reacionária. O general Villas Bôas, muito sabiamente, entende que o verdadeiro combate à violência só trará resultados efetivos com medidas a longo prazo.

A direita e a “classe média endireitada” possuem uma visão armamentista e egoísta de combate à violência. Armamentista porque só vêem soluções para a criminalidade com soldados, armas, tanques e e carros de combate. E egoísta, porque não se preocupam com a dimensão social e as ações sociais do Estado em regiões mais pobres. As palavras do general Villas Boas representam um exemplo vindo de uma grande autoridade militar (a maior do Exército) de que o combate à violência não se resume a ações visíveis. E é também um recado que nos conforta, mostrando uma coisa que já sabíamos, mas que talvez muitos ainda não percebessem. Felizmente, as nossas Forças Armadas e, em especial, o Exército, não se resumem a “bolsonaros”. Se o Estado, efetivamente, não atender às necessidades básicas da população, não haverá intervenção que acabe com a violência. Palavras do general…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s