DIREITA E EVANGÉLICOS: SERÁ QUE CHEGARÃO NA MARINA?

marina e lulapêndulomarina e aécioTemer e a direita precisam, procuram e tentam, a todo custo, encontrar um candidato viável que ele possa chamar de “seu”. E o candidato de Temer não precisa, necessariamente, ser do PMDB. Até porque o PMDB sempre esteve no poder sem eleger um candidato sequer. O “candidato de Temer” apóia seu governo, defende as reformas trabalhista e da previdência, as privatizações, o achatamento salarial, o congelamento dos gastos públicos com saúde e educação e o ataque aos servidores públicos. Há muitos que se apresentaram e ainda se apresentarão. O que não falta é direitista para defender a cancerosa agenda do Mordomo golpista. Já tentaram o Dória, o “Engomadinho do Tietê”. Dória desmoronou. Já tentaram o narigudo da Globo (esse sempre estará na lista como eterno stand by), mas também não emplacou. Alckmin seria uma boa opção. Mas o “Picolé de Chuchu” é mais pesado do que lutador de sumô. Estão tentando Henrique Meirelles, que não sai do traço no gráfico das pesquisas. E já falam até no garotinho de estimação obediente do Temer: Rodrigo Maia. Mas Temer sabe que nenhum desses e outros que possam ser especulados possuem lastro eleitoral.

Acrescente-se a isso o fato de Temer ser ilegítimo, impopular e seu governo ser a encarnação, por excelência, da corrupção no Brasil. E como escolher um candidato “do Temer”, quando uma pesquisa feita em dezembro indica que 90% dos eleitores não votariam em um candidato que defenda Temer? O que fazer?

Não é à toa que Henrique Meirelles tem ido a cultos evangélicos. A fatia de votos dos evangélicos é considerável, isso sem contar a sua representatividade: a bancada evangélica conta hoje com 86 deputados federais, o que corresponde a mais de 15% da Câmara. E a proporção dos votos evangélicos está na ordem de 30%. Além disso, o voto evangélico é muito conservador, preenchendo sem remendos a agenda de Temer. Isso sem falar nas lideranças altamente influentes, como o ultra-reacionário pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo. E ainda há um elemento fundamental: o eleitor evangélico não é fiel a partido ou candidato. Ele, geralmente, vota em quem o pastor manda. Malafaia tem grande influência política e é um constante interlocutor dos setores da direita reacionária. A coisa está tão feia, tão feia, que Malafaia já admite até dar o apoio de seu rebanho a Bolsonaro, aquele que “come gente”. Como Malafaia explicaria isso aos fiéis em seus cultos é problema lá dele.

Mas receio que eles possam chegar na Marina Silva. Isso porque o Bolsonaro, que diz “comer gente”, é um “autófago” e destrói a si próprio. Marina tem votos. Marina tem partido. A sua “onda verde” de 2010, quando ainda era do Partido Verde,  está bem viva na lembrança. E, na sanha para fazer frente ao Lula (ou ao seu “espólio eleitoral”, no caso de sua condenação), eles vão atrás de tudo o que puderem. E um grande detalhe: Marina é evangélica. Mas há também  um grande problema. O candidato em questão tem que ser de direita. Marina não é de direita. Também não é de esquerda, porque quem apoiou o Aécio em 2014 nunca poderá ser chamado de esquerda. Suas posições e declarações são “bipolares”.  Marina é um pêndulo que oscila entre a direita e a esquerda. É um fenômeno que nenhum cientista político explica. Talvez Galileu explique. Como o pêndulo está em constante movimento, acreditamos que uma boa dose de hipnose faça o eleitorado evangélico ver esse pêndulo parado na direita. E isso o Malafaia sabe fazer como ninguém.

Um comentário sobre “DIREITA E EVANGÉLICOS: SERÁ QUE CHEGARÃO NA MARINA?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s