A “BLACK FRIDAY” DO TEMER

liquidação do guanabaraO governo Temer acabou. Vê se dá para entender: o governo acabou, mas ele ficará no cargo até 31 de dezembro de 2018. Ele, um corrupto. E refém de um Congresso corrupto. Mas parece que, mesmo com seu governo acabado, ele, para cumprir seus compromissos feitos por ocasião do golpe quer, a todo custo, aprovar a criminosa reforma da previdência. Que ele e seus defensores dizem que acabará com os privilégios. Os juízes estão de fora da reforma. Os militares estão de fora da reforma. Os parlamentares também estão de fora. Mas a reforma “acabará com os privilégios”. É o que sempre diz o Henrique Meirelles com a sua inconfundível voz de bêbado. Será que dá para notar que a maldita reforma tem por meta atacar os de sempre para manter os privilégios dos de sempre?

São necessários 308 votos dos 513 na Câmara dos Deputados. O golpista sabe que não os têm. Então, com o desembarque certo de alguns partidos, como o PSDB (que ainda vai ter a cara de pau de dizer que não participou desse governo), além de ministros que serão candidatos e terão que se desincompatibilizar, o clima é de final de festa. Mas ele quer dar o golpe final, que é acabar com a previdência. Incluindo funcionários públicos (exceto juízes e militares). Seria um regime único (mas sem juízes e militares). Começou, então,  a “balck friday” de cargos, como Ministérios e Secretarias. Claro que, quem for candidato em 2018, não vai querer dizer que participou desse governo criminoso, golpista e impopular. Então, Temer está jogando os cargos ao avanço. E o “centrão” lá está. Temer aceita tudo. Venha quem vier, desde que lhe dê votos no Congresso.  E o “centrão” também.  Em se tratando de cargos, eles comem até migalha de pão dormido.  Parece o supermercado Guanabara em dia de promoção. Já tem até fila na porta do golpista.

As grandes negociatas já foram feitas, quando Temer comprou votos de parlamentares-empresários dando-lhes lautas anistias fiscais para livrar-se das duas denúncias. E, diga-se de passagem, muitos dos deputados se venderam assim, pois suas empresas são grandes devedoras do INSS. E aí esses mesmos caras vêm dizer que “a Previdência está falida.” Agora, é a hora da queima de estoque, ou seja, cargos que quase ninguém mais quer.

O objetivo é aprovar a reforma da previdência até dezembro. Falta um mês para o recesso parlamentar e o tempo é curto. Então, está na hora da “black friday”. Cargos a rodo estão sendo oferecidos por Temer, visando garantir os 308 votos para liquidar com o direito à aposentadoria dos brasileiros. Temer sabe que, terminando o ano, a partir de 2018 aqueles que poderiam dar-lhes os votos estarão em campanhas. Muitos dos que serviram ao governo golpista dirão até que nem conhecem o Temer. E ainda teremos a Copa do Mundo. O tempo é curto. É a liquidação total do governo golpista. E o seu “black friday” poderá significar o “game over” do sagrado direito à aposentadoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s