A PARABÓLICA RACISTA DA GLOBO

parabólica.jpgracismo.jpgMais uma vez a toda-poderosa Rede Globo, através de seus agentes ventríloquos, é flagrada com declarações que merecem total repulsa.  Que a Globo é golpista e manipuladora, disso nós já sabemos há tempos. Afinal, ela foi lançada em 1965 para ser o sustentáculo midiático da ditadura militar. Em 1982, no famigerado Escândalo da Proconsult, a  emissora da família Marinho tentou mudar o resultado das urnas e tirar a vitória de Leonel Brizola, dando-a para Moreira Franco, nas eleições para governador do Rio de Janeiro. Foi desmascarada. Em 1994, uma antena parabólica captou uma conversa entre o então Ministro da Fazenda de Itamar Franco, Rubens Ricúpero, e o jornalista Carlos Monforte. No diálogo, Ricúpero dizia ao jornalista global que não tinha escrúpulos e que queria fazer uma matéria para o Fantástico, onde mostraria o que era bom e esconderia o que era ruim, visando assim beneficiar FHC na eleição que se aproximava. O ministro e o jornalista combinavam montar uma matéria manipuladora. Novamente a Besta do Jardim Botânico foi desmascarada com mais um escândalo. O vídeo vazou.

E hoje parece que outra “parabólica” entrou no caminho da Globo. Dessa vez, da Globo News. Um vídeo que circula pela internet mostra  o jornalista William Waak, no intervalo de uma gravação em frente à Casa Branca, em Washington, fazendo uma declaração racista por causa de um barulho de buzina que o irritava.  No diálogo, ele diz ao seu convidado, Paulo Sotero,  que seria entrevistado:

“Não vou nem falar porque eu sei quem é… É preto. É coisa de preto.”

William Waak é conhecido por ter uma posição ultra-neo-liberal no programa do qual é âncora, o “Globo News Painel”. É também conhecido por só entrevistar convidados de linha conservadora. E agora, passa a ser conhecido também pelo racismo. Até o final da tarde de hoje, nem o jornalista e nem a emissora haviam se pronunciado sobre o vídeo e sobre a declaração racista do jornalista global. Esperamos que, ao menos, não fique no “nada a declarar”, que era a “declaração” mais feita pelos governos da ditadura que a Globo tanto defendeu. Acrescente-se que  Paulo Sotero, o convidado de Waak, riu da ofensa racista.

Assistam abaixo ao vídeo, onde William Waak é flagrado em sua declaração racista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s