O BUCHA ARREPENDIDO

deputado úreoeleição com internetImaginem se, na votação da reforma da previdência, algum deputado do PSOL, por exemplo, incluísse à última hora uma emenda diminuindo o tempo de contribuição. “Ninguém soube, ninguém viu, todos votaram”. Isso seria possível? Claro que não! Do mesmo modo que não é possível um deputado incluir, ao apagar da luzes, uma emenda na reforma política que censurava a internet. Ninguém soube, ninguém viu. E todos votaram. Mas alguém tinha que ser o autor da dita emenda, porque a grita ia ser geral. Então, escolheram o deputado Áureo, do Solidariedade. A escolha foi perfeita: um partido do “Centrão” e que é penduricalho da base de apoio do governo Temer/PSDB. E um deputado do “baixo clero”. Ninguém tem dúvida de que o deputado Áureo aceitou fazer o papel de “bucha”. Isto porque, quase todos dos que ali estavam, queriam mesmo era a censura na internet. As redes sociais viraram o terror dos picaretas do Congresso. Mas alguém teria que ir colocar o guizo no pescoço do gato. E ficar com as porradas que viriam. E o Sr. deputado Áureo, do partido do “Paulinho da Farsa”, aceitou fazer esse papel ridículo.

Só que, desde ontem, o deputado Áureo está com cara de bunda envernizada. Quando viu a repercussão de “sua proposta”, parece que entendeu que não valeria a pena fazer o papel de “bucha”. Mas já estava feito e isso jamais se apagará. Eles tentaram, mas não deu. O Mordomo-usurpador, pressionado,  vetou a emenda que censuraria a internet nas eleições de 2018. E o deputado Áureo, para o resto de sua vida, ficará com a marca de deputado que tentou, mas não conseguiu, censurar a internet. O deputado chegou a ligar para o Temer, pedindo para ele vetar a sua própria proposta, dizendo-se arrependido. Disse o deputado Áureo que sua proposta foi “mal entendida” e que “seria preciso discuti-la com a sociedade”.  Mas agora que ele vem falar isso?

O país vive um clima nebuloso. O avanço do conservadorismo chega a ser assustador. São ameaças de intervenção (leia-se: golpe) militar,  censura e ataques a exposições de arte, tentativa de censura à internet, ameaça ao livre exercício do magistério… Nossa Constituição completará 30 anos em 2018 e muitas das conquistas nela contidas estão a perigo. Seja nas reformas previdenciária e trabalhista, seja no fundamentalismo de grupos neofascistas. Ao que tudo indica, apesar das tentativas contrárias, teremos sim internet nas eleições de 2018. Mas antes, vamos lutar para que elas aconteçam. E  dentro das regras e da normalidade democrática.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s