PEDALADAS DO TUCANO DE MESQUITA

mesquitaHoje, primeiro dia de agosto de 2017, chegou até nós a notícia do afastamento do cargo do Prefeito de Mesquita Jorge Miranda, do PSDB, em votação realizada na Câmara Municipal. Por 9 votos contra 2, os vereadores decidiram pelo afastamento do Prefeito, acusado de ter cometido “pedalada fiscal”. O caso é similar ao da ex-Presidente Dilma. O prefeito foi acusado de fazer um empréstimo de 14 milhões de reais para pagar os salários atrasados dos servidores municipais. Tal operação teria sido feita sem autorização do Legislativo Municipal, o que ocasionou o seu afastamento pela Câmara. Em sua defesa, o prefeito tucano diz que há um “vício processual” na decisão dos vereadores e que houve apenas uma “transferência de recursos entre órgãos municipais”, recursos esses originados do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Mesquita, o “MESQUITA-PREV”. Na cidade, manifestantes protestam contra a decisão dos vereadores, dizendo que houve golpe.

A verdade é que o Prefeito tucano está provando do próprio veneno. Ele, como um bom tucano, certamente apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma, ocorrido por motivo praticamente igual. E mais: especialistas em direito eleitoral, ao manifestarem-se sobre o caso,  afirmam que o Prefeito de Mesquita não atuou ilegalmente. Do mesmo modo que Dilma, em que vários especialistas também afirmaram que não houve crime de responsabilidade. E as similaridades com o caso da Dilma não param por aí. O Prefeito teria feito o tal empréstimo para quitar os salários atrasados dos funcionários municipais, medida de grande alcance social, o que faz com que ele tenha respaldo de grande parte dos mesquitenses. Assim como Dilma, que fez operações de créditos suplementares para fins de programas sociais. A operação do Prefeito de Mesquita estaria atendendo a um TAC (Termo de Ajuste de Conduta)  proposto pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública.

Seria interessante que o diretório municipal do PSDB de Mesquita se pronunciasse sobre o caso. Que instâncias superiores do partido tucano se pronunciassem. Que a “douta”, “magnânima” e “estilosa” Janaína Paschoal se manifestasse sobre o caso. Aliás, se cabe uma dica para o Prefeito afastado, aí vai: dê um cachê de 35 mil para a Doutora Janaína que ela atuará muito bem em sua defesa. A Doutora Janaína é “funcionária terceirizada” do PSDB.  Talvez ela cobre até menos, por se tratar de um Prefeito. 35 mil foi quanto ela cobrou para prestar serviços ao PSDB no caso da ex-Presidente da República. Além da dica, faço votos que o seu Vice não seja um Temer. Até porque ninguém votou nele. É… Como a vida dá voltas, e principalmente na política, muitas vezes o que pensamos que passa longe de nós está aqui, pertinho,  batendo na nossa porta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s